Campanha de Obama nega que Michelle tenha falado 'branquelo'

Site tenta rebater os falsos rumores sobre o candidato democrata que circulam em blogs republicanos

Associated Press e Reuters,

12 de junho de 2008 | 14h58

A campanha do candidato democrata à Presidência, Barack Obama, afirmou que Michelle Obama nunca usou a palavra "branquelo" em um discurso realizado em uma igreja. O rumor sobre a suposta declaração da mulher de Obama circula em blogs conservadores republicanos há semanas.  Veja também:Obama tem 6 pontos de vantagem sobre McCain, diz pesquisaObama recupera eleitorado feminino Obama x McCain Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  Algumas versões sustentam que há um vídeo registrando o suposto discurso de Michelle. Esse seria usado para prejudicar a campanha do senador por Illinois na disputa com o republicano John McCain pela presidência dos Estados Unidos. "Não existe essa frase", respondeu a campanha no site. "Michelle Obama nunca falou do púlpito da Trindade e nem usou essa palavra", referindo-se à Igreja da Trindade Unida em Cristo. O site oferece respostas detalhadas a rumores que continuam circulando pela rede mundial de computadores e por meio de publicações conservadoras a despeito dos esforços para colocar-lhes um ponto final. A página ainda conclama os simpatizantes do candidato a enviarem por e-mail, para outras pessoas, essas respostas.  Michelle foi alvo de alguns ataques dos conservadores, levando Obama a falar aos rivais: "Deixem minha mulher em paz". Muitas das críticas surgiram quando ela disse que a campanha do marido fez com que tivesse orgulho do país "pela primeira vez". Foi produzido um vídeo questionando o patriotismo da aspirante ao posto de primeira-dama. O site também tenta rebater os falsos rumores sobre o candidato, que enfrentará o republicano John McCain nas eleições de novembro, ser muçulmano. "O senador Obama nunca foi muçulmano, não foi criado como muçulmano e é um cristão convicto", diz a página. Uma fotografia mostra o democrata segurando uma Bíblia enquanto toma posse no Senado americano. A imagem serve para rebater os boatos de que teria usado um Alcorão ao fazer esse juramento. Um perfil da CNN a respeito da escola indonésia que Obama freqüentou na infância é usado para rebater os rumores sobre o local apregoar uma versão radical do islamismo. O site também oferece o contexto para trechos de livros do candidato usados para dar a impressão de que alimentaria sentimentos radicais. E contém um vídeo no qual Obama faz um juramento à bandeira americana, rebatendo boatos de que se negaria a realizar esse ato.

Mais conteúdo sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.