Caroline Kennedy quer substituir Hillary no Senado, diz jornal

Filha de John F. Kennedy pedirá ao governador de NY para assumir posto deixado pela secretária de Estado

Efe e AP,

15 de dezembro de 2008 | 17h32

Caroline Kennedy, filha do ex-presidente americano John F. Kennedy, decidiu se oferecer para ocupar a vaga no Senado que será deixada por Hillary Clinton, que assumirá a chefia do Departamento de Estado, segundo o jornal The New York Times.   Veja também: Hillary ganhará menos que Rice como secretária de Estado O gabinete do presidente eleito   O jornal assegura nesta segunda-feira, 15, em seu site que, segundo "uma pessoa à quem Caroline Kennedy comunicou sua decisão", a filha do ex-presidente, assassinado em 1963, pedirá ao governador de Nova York, David Paterson, que leve em conta sua candidatura.   Na semana passada, Paterson havia dito que não tomaria nenhuma decisão sobre o assunto até que a ainda senadora por Nova York renunciasse oficialmente ao posto no Senado. Antes de a esposa do ex-presidente americano Bill Clinton assumir esse cargo tem que ocorrer a posse de Obama, que acontecerá em 20 de janeiro, e depois obter o sinal verde do Congresso dos EUA, de modo que poderia atrasar até fevereiro.   Há semanas se especulava a possibilidade de Caroline Kennedy Schlossberg, advogada de 51 anos e sem experiência política, tomasse essa decisão, especialmente após se tornar público que ela tinha conversado "informalmente" com Paterson sobre isso.   Segundo o New York Times, Caroline está totalmente decidida, após ter conversado com várias pessoas. Ela já teria começado a fazer ligações para destacados políticos do estado de modo a anunciar sua decisão e tentar obter apoio. A filha do ex-presidente americano contratou, inclusive, os serviços de uma conhecida consultoria política, dirigida por Josh Isay, um antigo chefe de pessoal do senador por Nova York Charles Schumer.   Caroline, sobrinha do atual senador Edward Kennedy (1932) e de Robert Kennedy (1925-1968), anunciou seu apoio a Obama no início deste ano e participou ativamente de sua campanha. Outros possíveis candidatos a suceder Hillary são o prefeito de Buffalo, Byron Brown, a congressista nova-iorquina Nydia Velázquez e o procurador-geral de Nova York, Andrew Cuomo.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.