Citado em debate, 'Joe, o encanador' se incomoda com a fama

McCain apresentou Joe Wurzelbacher como alguém que não conseguiria abrir seu negócio no governo Obama

Agência Estado e Associated Press,

16 de outubro de 2008 | 15h22

"Joe, o Encanador", disse nesta quinta-feira, 16, que não tem uma licença para abrir um negócio. E não precisa dela. Joe Wurzelbacher, mais conhecido como "Joe, o Encanador", o apelido que o candidato republicano John McCain colocou nele durante o debate presidencial de quarta-feira, disse trabalhar para uma pequena empresa que conserta encanamentos em residências. Por trabalhar para outra pessoa, disse não precisar de uma licença para um negócio próprio. Wurzelbacher foi citado por McCain como alguém que gostaria de comprar um negócio próprio no setor de encanamentos, mas seria prejudicado pelos planos do democrata Barack Obama com relação a impostos. O outrora anônimo se disse surpreso por seu nome ter sido mencionado tantas vezes no encontro dos candidatos à Casa Branca. "Aquilo me incomodou. Eu gostaria que eles falassem mais sobre os assuntos que são importantes para os americanos", disse ele a repórteres que se concentraram em frente a sua casa. Veja também:Obama venceria se eleição fosse hoje, diz pesquisa CNNMcCain perde última chance de virar disputa Veja as imagens do debate presidencial Confira os números das pesquisas nos Estados Veja a cobertura online no blog Obama x McCain Entenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA O encanador, de 34 anos, disse que ainda não tinha um plano claro sobre como comprar a Newell Plumbing and Heating. Ele disse que o negócio na verdade consiste no proprietário Al Newell e nele. Wurzelbacher trabalha há seis anos na empresa e diz que já conversou com o dono sobre no futuro assumir o comando. "Há muito que eu tenho que aprender", avaliou. Wurzelbacher tornou-se um dos focos de debate por acaso. No domingo, durante um comício em Toledo, ele disse a Obama que se preparava para comprar uma companhia de encanamento, que ganha mais de US$ 250 mil por ano. O encanador então questionou: "Seu novo plano de impostos me taxará mais, não?" Obama disse que, de acordo com sua proposta, os rendimentos até US$ 250 mil permaneceriam com a mesma taxa, de 36%. Porém o que passar disso será tributado em 39%. McCain usou o incidente para falar de seu próprio plano para os impostos, que manteria os cortes de impostos do presidente George W. Bush e reduziria a taxação sobre ganhos de capital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.