CNN aponta vínculo entre espionagem e campanha de Obama

Segundo a rede de televisão, consultor do senador norte-americano teria ligação com revisão de passaportes

Efe,

22 de março de 2008 | 19h10

Um dos consultores na campanha do senador Barack Obama é presidente da firma cujo empregado foi acusado de revisar indevidamente os documentos de passaportes dos candidatos presidenciais nos Estados Unidos, informou neste sábado, 22, a rede CNN de televisão. A rede, que citou uma fonte não identificada para a informação, sustentou que John Brennan, presidente da companhia Analysis Corporation, assessora o senador de Illinois sobre política externa e inteligência. Três funcionários temporários foram acusados esta semana por revisões inapropriadas dos passaportes dos candidatos presidenciais democratas Obama e Hillary Clinton, e do republicano John McCain. Um deles trabalha para a Analysis Corporation e já foi sancionado, enquanto os outros dois, que estavam vinculados à empresa Stanley Incorporated, foram despedidos. A secretária de Estado, Condoleezza Rice, pediu desculpas aos três políticos e afirmou que a suposta violação dos documentos privados dos políticos será investigada. Brennan, segundo a fonte da CNN, trabalhou para a Agência Central de Inteligência (CIA) e dirigiu, de maneira interina, o Centro Nacional Antiterrorista. Em janeiro, ele contribuiu com US$ 2.300 para a campanha de Obama.

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaPassaportes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.