Colin Powell anuncia apoio a candidatura de Barack Obama

Democrata reúne 'atributos de líder', diz ex-membro do governo Bush; senador bate recorde de arrecadação

Efe,

19 de outubro de 2008 | 15h25

Colin Powell, ex-secretário de Estado americano durante o primeiro mandato do presidente George W. Bush, anunciou neste domingo, 19, seu apoio ao candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, a quem descreveu como uma "figura transformadora". Em entrevista concedida ao programa "Meet the Press", exibido pela "NBC", Powell disse que ambos os candidatos estão preparados para ser presidente, mas que o senador afro-americano parece o mais indicado para tratar dos problemas econômicos do país e melhorar a imagem dos Estados Unidos no mundo.   Veja também: Obama reúne multidão em Estado republicano Confira os números das pesquisas nos Estados  Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   Powell também manifestou sua decepção pela guinada negativa da campanha do republicano John McCain, que passou a atacar duramente o candidato democrata. "Acho que é inadequado. Sei como funciona a política, sei que um pode atacar o outro, e isso é bom. Mas acho que isto foi longe demais. Não é o que tem preocupado os americanos", disse Powell em referência às tentativas da campanha de McCain de relacionar Obama com o ex-militante radical dos anos 60 Bill Ayers.    Powell, que é general reformado e condecorado do Exército, também criticou a decisão de McCain de escolher a governadora do Alasca, Sarah Palin, como sua candidata à Vice-Presidência, já que não a considera preparada para substituir o senador em caso de necessidade.   O general reformado disse ainda que Obama reúne atributos para ser "um líder bem-sucedido, um presidente excepcional", como sua capacidade de "inspirar", o "princípio de inclusão de sua campanha" e fato de que "se aproxima de todos os americanos."   "Acho que (Obama) é uma figura transformadora. Ele representa uma nova geração que chega ao cenário mundial, ao cenário dos EUA, e por esta razão votarei no senador Barack Obama", declarou Powell. Segundo o ex-diplomata, se Obama vencer as eleições de 4 de novembro, "todos os americanos terão motivo para se sentirem orgulhosos, não só os afro-americanos."   "Ele não eletrizaria apenas o nosso país, eletrizaria o mundo", afirmou Powell. O general também disse que respeita muito McCain e suas propostas, mas declarou: "Precisamos de mais que isto, precisamos de uma mudança de geração", representada por Obama.   Na entrevista, Powell contou que observou durante "muito tempo" ambas as campanhas, que começou a se decidir a partir das convenções de cada partido e que sua escolha foi reforçada quando ouviu as propostas dos dois candidatos para solucionar a atual crise financeira.   Resposta de McCain   Para McCain, o anúncio de Powell não foi uma surpresa, já que há muito tempo se especulava que o ex-secretário de Estado poderia dar seu apoio a Obama. Em entrevista ao "Fox News Sunday", McCain disse que respeita e admira Powell, e que o anúncio "não o pegou de surpresa."   Arrecadação recorde Foto: Reuters Obama arrecadou mais de US$ 150 milhões em setembro para as eleições presidenciais americanas, um novo recorde, informou neste domingo seu comitê eleitoral. A capacidade de arrecadar fundos foi crucial para o democrata resistir à campanha de McCain, o que permitiu Obama ter vários anúncios no rádio e na televisão.   A campanha do senador por Illinois comprou um espaço de 30 minutos no horário nobre da televisão em 29 de outubro, seis dias antes das eleições, para pedir pela última vez o voto dos americanos. Em setembro, Obama conseguiu 632 mil novos doadores, e agora conta com 3,1 milhões de pessoas que o apóiam financeiramente.   Com a quantidade de fundos arrecadados em setembro, Obama mais que dobrou os US$ 66 milhões arrecadados em agosto, que eram o recorde anterior. Ao contrário de McCain, o candidato democrata optou por não aceitar dinheiro público para sua campanha, o que permitiu ao democrata arrecadar milhões de partidários individuais.   Obama, que participará de um ato de campanha na Carolina do Norte, onde McCain esteve no sábado, bateu todos os recordes de arrecadação de fundos em parte devido à sua presença na internet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.