Doug Mills/The New York Times
Doug Mills/The New York Times

Congressistas negros pedem investigação sobre sumiço de jovens em Washington

Ativistas e representantes da região aguardam explicação para onda de desaparecimentos; polícia alega que número de casos diminuiu em 2017

O Estado de S.Paulo

26 de março de 2017 | 09h42

Congressistas negros dos Estados Unidos estão pedindo para que o Deparamento de Justiça investigue o alto número de crianças e adolescentes desaparecidos em Washington. 

Nos primeiro três meses do ano, o Distrito de Columbia registrou 501 casos de sumiço de jovens, a maioria deles negros ou latinos, segundo o Departamento da Polícia Metropolitana (MPD, na sigla em inglês), que patrulha a cidade. Até o último dia, 22 ocorrências ainda não haviam sido solucionadas. 

Cedric Richmond, presidente da Congressional Black Caucus, organização para legisladores negros, e Eleanor Holmes Norton, representante de Washington no Congresso, enviaram uma carta a Jeff Sessions, procurador-geral dos Estados Unidos, e James Comey, diretor do FBI, pedindo que "destinem recursos necessários para determinar se esses acontecimentos são anormais ou indicativos de uma tendência que deve ser observada", segundo divulgou a agência de notícias Associated Press, que obteve acesso ao documento. 

A polícia de Washington alega que não houve aumento no número de pessoas desaparecidas na região. "Nós apenas estamos postando os casos nas redes sociais com mais frequência", alegou Rachel Reid, porta-voz da corporação.

De acordo com dados da polícia, o número de sumiços diminuiu de 2,433, em 2015, para 2,242, em 2016. Além disso, a média mensal em 2016 foi de 200 pessoas desaparecidas, enquanto que em 2017 está em 190. 

Mas o aumento da atenção nas redes sociais tem causado preocupação na capital americana, cuja população atual é composta por 48% de negros. "Dez crianças de cor desapareceram na capital do país em duas semanas e, em princípio, isso recebeu pouca atenção da mídia. É muito perturbador", escreveu Richmond na carta. 

Derrica Wilson, co-fundadora da Fundação de Negros e Desaparecidos, disse que, apesar das afirmações da polícia, é alarmante tantas crianças sumirem ao mesmo tempo. Na noite da última terça-feira, ela ressaltou que seu grupo teve quatro casos de desaparecimentos e que apenas um deles foi solucionado.

O tráfico de pessoas seria um dos motivos pelo sumiço dos jovens. A polícia de Washington também afirma que muitos casos solucionados se tratavam apenas de tentativas frustradas de fuga de casa. 

Ao jornal Washington Post, Sharece Crawford, membro de uma Comissão de Consulta de Vizinhança da região sudeste de Washington, acredita também no aumento número de jovens negras que têm se envolvido com gangues e são obrigadas a se prostituírem. /COM INFORMAÇÕES DA AP

Tudo o que sabemos sobre:
Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.