Democrata John Edwards desiste de concorrer à Presidência

Disputa ficará centrada nos favoritos Hillary e Obama, que já começaram a cortejar apoio do ex-pré-candidato

Efe,

30 de janeiro de 2008 | 16h38

O ex-senador e ex-candidato à vice-presidência dos Estados Unidos John Edwards anunciou nesta quarta-feira, 30, que está deixando oficialmente a corrida pela indicação para a candidatura democrata à presidência do país.  Veja também:McCain vence na Flórida e se fortalece entre republicanosHillary vence primária democrata na FlóridaCobertura completa das eleições nos EUAEspecial eleições americanas A disputa agora ficará centrada nos favoritos Hillary Clinton e Barack Obama, que estão praticamente empatados. Obama lidera a campanha democrata quanto ao número de delegados, com 63, seguido por Hillary, com 48, que, no entanto, está em primeiro em número de Estados. Edwards disse que tomou a decisão para que a "história possa iluminar o caminho" da campanha. O ex-senador John Edwards poderá ter um papel decisivo na disputa democrata. Edwards também tem faturado uma parcela razoável de delegados (26) e poderá fechar com o candidato que adotar temas de sua plataforma, centrada no combate à pobreza nos Estados Unidos. O anúncio, que já havia sido antecipado por membros da campanha do pré-candidato, foi feito em um ato em Nova Orleans, cidade destruída pela passagem do furacão Katrina e que para Edwards representa o "abandono" de Washington. Foi em Nova Orleans que ele iniciou sua campanha há mais de um ano. Rodeado de familiares e com uma fileira de casas humildes como pano de fundo, o até então pré-candidato disse que sua campanha termina, mas seus "ideais de luta contra a pobreza e o deterioração da classe média permanecem".  "Com nossas convicções e um pouco de organização nós iremos recuperar a Casa Branca em novembro", disse Edwards. Edwards disse que tanto Hillary como Obama prometeram "colocar o combate a pobreza no centro de suas campanhas presidenciais" O ex-senador pela Carolina do Norte não anunciou imediatamente se apoiará Hillary ou Obama, mas os dois candidatos já começaram a cortejá-lo e seus .  "John Edwards encerrou sua campanha hoje (quarta-feira) da mesma maneira como começou: permanecendo com as pessoas que geralmente são colocadas de lado e quase sempre ficam fora do debate nacional", disse Hillary.  Obama também cumprimentou Edwards e sua esposa, Elizabeth. Em uma manifestação em Denver, ele disse que o casal "sempre acreditou profundamente que dois americanos podem se tornar um, e que nosso país pode se dedicar a esse propósito".  "Embora a sua campanha tenha acabado, essa causa viverá pra sempre para nós que acreditamos que podemos alcançar o sonho de uma América." O impacto da decisão de Edwards deve ser sentido na próxima terça-feira, 5, quando os democratas realizarão primárias e caucuses simultaneamente em 22 estados. Mais de 1.600 delegados estarão em jogo na chamada Superterça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.