Democratas anunciam que Flórida não terá novas prévias

Primárias na Flórida e Michigan haviam sido propostas após anulação dos resultados pelo diretório nacional

17 de março de 2008 | 19h39

Os democratas do Estado da Flórida não terão novas eleições primárias para eleger seu candidado à Presidência americana, afirmou o comando nacional do Partido nesta segunda-feira, 17, segundo informações da agência France Presse. As primárias no Estado e em Michigan foram anuladas porque os diretórios estaduais anteciparam os pleitos, desobedecendo a direção do Partido. Em ambas disputas, a vitória foi da senadora Hillary Clinton.   Veja também: 'Não podemos vencer', diz Hillary sobre o Iraque Seguidores de Obama e Hillary diminuem tom de campanha Maioria dos americanos quer um presidente democrata Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    Na quinta-feira, 13, o Partido Democrata da Flórida havia anunciado uma proposta para a realização de novas primárias, que seriam uma combinação de eleição tradicional nas urnas e voto pelo correio. Pelo desrespeito às regras do Partido, a Flórida e o Michigan perderam o direito a ter seus delegados representados na Convenção nacional, que será realizada em agosto.   Os pré-candidatos Hillary Clinton e Barack Obama discordaram sobre a repetição das disputas. Obama disse que não participou das eleições - o candidato não fez campanha na Flórida e nem se inscreveu em Michigan - para respeitar as regras partidárias, e criticou a rival por querer contabilizar os delegados conquistados nos dois Estados. "Na minha opinião há duas opções: honrar os resultados ou realizar novas eleições primárias", rebateu Hillary.   Um total de 1,7 milhão de democratas votaram na Flórida e deram à senadora uma vitória de 50%, contra 33% para Obama. Na acirrada disputa entre os dois candidatos, o senador por Illinois já obteve um total de 1.596 delegados, contra 1.484 de Hillary. Os candidatos voltam a se enfrentar nas primárias da Pensilvânia, em 22 de abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.