Democratas oficializarão candidatura de Obama nesta quarta

Tema do 3.º dia da Convenção é política externa; discursos de Bill Clinton e Joe Biden são os mais esperados

Agências internacionais,

27 de agosto de 2008 | 15h19

Os principais nomes do Partido Democrata vão discursar nesta quarta-feira, 27, para impulsionar a candidatura de Barack Obama à Presidência dos Estados Unidos, no terceiro dia da convenção do partido em Denver. Os pronunciamentos de Joe Biden, o vice democrata à Casa Branca, e do ex-presidente Bill Clinton são os mais esperados da noite. É nesta quarta que os delegados oficializarão Obama como candidato presidencial legenda. Na quinta, o senador por Illinois recebe a indicação, encerrando o evento.  Veja também:Após Hillary, Bill Clinton apoiará ObamaGaleria de fotos da Convenção Obama x McCainConheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  Biden será o orador principal da noite. Senador por Delaware, ele preside o Comitê de Relações Exteriores do Senado e deve ser o braço direito de Obama em política externa. Sua presença na chapa também serviu para aplacar as críticas do candidato republicano, John McCain, de que o democrata não teria experiência em segurança nacional. Segundo o programa do Partido Democrata, esta quarta-feira servirá para expor uma política externa que "não é republicana nem democrata, mas uma política americana inteligente que fará com que o país seja mais seguro". Além disso, tentará promover os interesses dos Estados Unidos no mundo todo. Um dos que discursarão nesse sentido é Clinton, que realizou uma ativa campanha a favor de sua esposa, Hillary, derrotada por Obama nas disputadas primárias do partido. Segundo analistas políticos, em seu discurso o ex-presidente tratará de levar um tom de harmonia ao partido e pedirá que seus simpatizantes votem em Obama com o objetivo de pôr fim a oito anos de controle republicano da Casa Branca. Na terça, Hillary fez um discurso firme reforçando seu apoio ao candidato democrata. Tentando reunificar o partido depois da acirrada disputa pela indicação presidencial da legenda, ela pediu união em torno da candidatura de Obama. Outro importante nome do partido a discursar nesta quarta será Bill Richardson, governador do Novo México. Ex-legislador estadual, ex-secretário de Energia e ex-embaixador dos EUA nas Nações Unidas, Richardson é também considerado um dos nomes fortes que Obama poderia ter em sua equipe de política externa. Também se pronunciará no terceiro da convenção o senador John Kerry, que foi derrotado nas eleições de 2004 pelo atual presidente, George W. Bush.  Votação O nome de Hillary Clinton estará na disputa pela indicação do candidato à Presidência do Partido Democrata, como parte de um acordo do grupo da ex-primeira-dama com o candidato Barack Obama. O processo está previsto para ocorrer em Denver entre 15h e 18h locais (das 18h às 21h de Brasília). Haverá três discursos em prol de Hillary e quatro em favor de Obama, antes da votação. A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, presidirá a sessão. Os delegados devem votar até às 4 horas locais (19 horas de Brasília), quando as delegações serão chamadas a ocupar seus lugares e apontar suas preferências. O processo continuará até que todos os Estados votem, ou até que uma moção seja proposta para que Obama seja nomeado por aclamação. Nova Jersey já adiantou que apoiará unanimemente o senador por Illinois. Cada delegação realizou contagens informais de votos durante encontros no café da manhã. Os partidários de Hillary e Obama mantêm segredo sobre os procedimentos - ainda que tudo na convenção seja rigidamente previsto. Mas funcionários democratas demonstraram dúvidas de que a votação completa ocorra. Evitar toda a votação seria benéfico para os dois lados. Para Obama, evitaria qualquer insinuação sobre a falta de união democrata. E para Hillary, pode ser um modo de evitar obter menos apoio que o previsto. Os democratas não acreditam que Hillary encoraje um processo que diminuiria o apoio obtido por ela durante as prévias.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack Obamaeleiçõs nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.