Discurso de Trump provoca tensão em protesto no Arizona

Presidente dos EUA disse não ser racista e atacou a mídia em comício

Associated Press, O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2017 | 04h53

PHOENIX - Protestos que começaram pacíficos, nesta terça-feira, 22, terminaram em confronto com a polícia após comício do presidente Donald Trump em Phoenix, no Arizona, no sul dos Estados Unidos. Os agentes lançaram bombas de gás lacrimogêneo contra grupos que pediam o impeachment de Trump. Alguns manifestantes teriam atirado pedras e garrafas contra policiais, segundo as autoridades.

Uma fumaça densa tomou conta do céu da cidade ao cair da noite, enquanto manifestantes gritavam do lado de fora do centro de convenções onde o presidente discursava.  A tensão se acirrou assim que o comício foi encerrado. Em um helicóptero, um policial com um alto-falante ordenava que as pessoas deixassem a área, enquanto muitos saíam correndo com muita tosse e olhos ardendo devido ao efeito do gás.

Conforme o porta-voz da polícia, Jonathan Howard, quatro pessoas foram presas durante o confronto. Dois policiais precisaram de atendimento médico, segundo os relatos do local. Equipes de segurança já estavam a postos mesmo antes do início do comício. O encontro com o público foi o primeiro após as manifestações de ultradireita no país.

 "Trump tóxico", dizia uma das frases de protesto em um cartaz. Depois do comentário da semana passada sobre 'os muitos lados' no protesto supremacista em Charlottesville, o presidente suavizou as palavras em relação a etnias e imigrantes e garantiu não ser racista. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.