Em alta nas pesquisas, Obama critica McCain na economia

Democrata usa frase de McCain sobre 'fundamentos sólidos' para criticá-lo em discurso sobre desemprego

AP

02 de outubro de 2008 | 13h53

O candidato democrata à presidência dos EUA, Barack Obama, disse nesta quinta-feira, 2, que seu rival, o republicano John McCain, está desconectado dos problemas econômicos americanos e não entende que nada é pior do que estar desempregado. Ele fez um discurso em Michigan, um dos Estados com maiores taxas de desocupação do país, a um dia da divulgação de novos índices sobre o mercado de trabalho americano.   Veja também: Aumenta ceticismo de eleitor com Palin Pesquisa do NYT dá a Obama 9 pontos de vantagem Correspondente do 'Estado' fala do debate  Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   "Nove meses seguidos de perdas de postos de trabalho. Mas, na semana passada, John McCain disse que os fundamentos da economia estão fortes. Bom não como ele mede isso, mas de onde eu venho não há nada mais importante que um emprego', disse, em referência a expectativa de uma nova queda na taxa. A campanha de McCain rebateu as críticas em um comunicado e afirmou que Obama é quem está desconectado da realidade. "Barack Obama está viciado na expansão do Estado", disse o porta-voz Ben Porritt em um comunicado no qual atacou também a posição de Obama sobre exploração de petróleo em alto-mar. A crise americana parece ter aumentado o apoio do eleitorado a Obama. Uma pesquisa da CBS e do jornal The New York Times indica que o democrata tem nove pontos de vantagem sobre o republicano. Outros levantamento indicam vantagem de Obama em Estados que podem ser decisivos no colégio eleitoral, como Michigan, Flórida e Ohio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.