Em último comício, Obama pede que americanos votem

Candidato democrata retorna a seu estado para aguardar os resultados das eleições desta terça-feira

Efe,

04 de novembro de 2008 | 04h29

O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, lançou na segunda-feira, 3, uma última chamada aos americanos para que compareçam as urnas nesta terça-feira para as eleições presidenciais. As pesquisas apontam o senador por Illinois como favorito. Veja também:Barack Obama chega como favorito à eleição americanaMcCain pede que eleitores lutem e não percam esperançaObama lidera em seis de oito Estados-chave nos EUAEstadao.com.br na terra dos ObamasDiário de bordo da viagem ao Quênia Confira os números das pesquisas nos EstadosObama x McCain Entenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA "Este é um momento decisivo no qual podemos levar o país à mudança que ele necessita", disse o democrata diante de milhares de seguidores na localidade de Manassas (Virgínia), onde ocorreu seu último ato eleitoral. Após o comício, Obama voltou a seu estado, onde esperará os resultados das eleições que podem lhe transformar no primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos. "Depois de 21 meses de campanha, estamos prontos para levar a mudança aos Estados Unidos", ressaltou Obama. Segundo os analistas, Obama conseguirá a maioria dos votos em Manassas, um subúrbio de classe média cerca de 50 quilômetros ao sudoeste de Washington. No entanto, outras pesquisas apontam seu rival, o republicano John McCain, como vencedor em outros setores do estado, o que torna imprevisível o resultado no estado da Virgínia. O candidato democrata chegou à Virgínia após fazer campanha na Flórida e Carolina do Norte, estados que são considerados cruciais para o resultado das eleições. Esses estados deram a vitória ao atual presidente republicano, George W. Bush, nas eleições de 2004, e os assessores de Obama assinalam que um triunfo nessas regiões pode inclinar a eleição a seu favor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.