Ex-servidores de Clinton lideram transição em 3 Departamentos

Governo Obama coloca nas mãos de ex-membros da Casa Branca a avaliação do Tesouro, do Estado e da Defesa

Agências internacionais,

13 de novembro de 2008 | 09h05

O presidente eleito Barack Obama nomeou na quarta-feira, 12, dois ex-servidores da Casa Branca no governo de Bill Clinton para administrar a transição dos Departamentos de Estado, Defesa e do Tesouro, enquanto ele maneja o socorro para a economia de US$ 700 bilhões. Em um comunicado, Obama disse que a equipe será responsável por revisar orçamentos, pessoal e políticas nas áreas.   Veja também: Obama indica 450 assessores para examinar governo Bush Bush se arrepende de 'coisas ditas' Obama promete que virá ao Brasil Jesse Jackson Jr. luta por vaga de Obama no Senado Principais desafios de Obama Nomes cotados para o gabinete de Obama Quem são os eleitores de Obama   Trajetória de Obama  Cobertura completa das eleições nos EUA   No Departamento do Tesouro estão encarregados Josh Gotbaum e Michael Warren. Gotbaum, 57 anos, é filho do líder trabalhista de Nova York Victor Gotbaum e ex-alto funcionário e ex-banqueiro de investimento com amplo conhecimento dos mercados. Ele trabalhou com a administração Clinton como secretário-assistente de Defesa e do Tesouro. Depois do 11/09, Gotbaum liderou um grupo de caridade para ajudar pessoas e negócios atingidos pelos ataques terroristas. Warren, 41 anos, tem experiência no setor governamental e privado e durante do governo do ex-presidente foi diretor executivo do Conselho Nacional de Economia.   Encarregado do Departamento de Estado, Donilon, 53 anos, foi secretário-assistente de Estado para assuntos públicos e chefe de gabinete do Departamento de Estado de Clinton. O ex-lobista - trabalhou até 2005 para a agência hipotecária Fannie Mae, uma das mais atingidas pela crise - atuou por décadas em altos cargos nas campanhas presidenciais democratas. Sherman, 59 anos, foi conselheiro do Departamento de Estado e consultor de Clinton para a Coréia do Norte.   O time de transição de Obama ainda nomeou John White e Michel Flounoy, também ligados ao governo Clinton. White, de 71 anos, ex-funcionário do Pentágono, foi subsecretário da Defesa entre 1995 e 1997 e assistente do mesmo Departamento no governo de Jimmy Carter. Flournoy, 47 anos, especialista em questões de defesa para estratégias e redução de ameaças da administração Clinton.   O deputado americano Rahm Emanuel já tinha aceitado na semana passada o convite para assumir o cargo de chefe de gabinete no futuro governo. Congressista do mesmo Estado de Obama, Illinois, foi conselheiro do presidente Bill Clinton, que ocupou a Casa Branca de 1993 a 2001. Ele é conhecido pelo estilo combativo na arena política e foi apelidado de "Rahmbo" pela imprensa americana. Atualmente em seu segundo mandato na Câmara dos Representantes, Rahm foi membro da Comissão da casa responsável por discutir questões relacionadas a impostos, comércio e seguridade social.   Os comitês "oferecerão ao presidente eleito (Barack Obama), ao vice-presidente eleito (Joe Biden) e a assessores-chave a informação necessária para tomar decisões estratégicas, orçamentárias e de pessoal antes da inauguração", diz um comunicado divulgado pela equipe de transição. Os grupos começarão a trabalhar nesta mesma semana e garantirão que seja fornecida a informação necessária aos altos funcionários nomeados por Obama e Biden para completar o processo de confirmação, liderar seus departamentos e começar a implementar iniciativas de política assim que assumirem os cargos.   (Com The New York Times)

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.