Falhas de regulação levaram às fraudes de Madoff, diz Obama

Presidente eleito anuncia nomes do gabinete e ressalta que reforma do sistema regulatório será sua prioridade

Agências internacionais,

18 de dezembro de 2008 | 13h51

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, afirmou nesta quinta-feira, 18, que as agências reguladoras americanas têm parte da culpa pela fraude do gestor americano Bernard Madoff, que provocou perdas estimadas em US$ 50 bilhões ao redor do mundo. Obama criticou o sistema regulatório dos EUA durante a entrevista coletiva em que nomeou Mary Schapiro, diretora-executiva de um órgão não-governamental de regulação das corretoras, para presidir a Securities and Exchange Commission (SEC, comissão de valores mobiliários).   Veja também: Entenda o esquema de pirâmide financeira   Obama avalia pacote de US$ 850 bi para economia dos EUA Obama nomeia secretários da Agricultura e do Interior Obama escolhe republicano para Transportes, diz jornal Obama indica diretor de Chicago para a pasta da Educação Obama anuncia equipe de Energia e Meio Ambiente O gabinete do presidente eleito    Para Obama, o escândalo Madoff mostra que é preciso mudar a regulamentação e a reforma do sistema será sua prioridade. Segundo ele, a escolha de Schapiro trará "novas idéias e novo espírito para que fraudes como a de Madoff não ocorram novamente". A nova presidente da SEC assumirá uma agência cercada de problemas, desde a ausência de sinais ao mercado sobre a suposta fraude de US$ 50 bilhões de Madoff às acusações de supervisão frouxa sobre os bancos de Wall Street. Muitos acreditam que a SEC será fundida à Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC, na sigla em inglês), ou que terá algumas de suas atribuições transferidas a outros órgãos, na grande reestruturação do sistema regulatório que é esperada para o próximo ano.   Durante a entrevista coletiva, Obama ainda confirmou a escolha do professor de direito da Universidade Georgetown e ex-funcionário da administração Clinton, Daniel Tarullo, para preencher uma das três cadeiras vagas no conselho de governadores do Fed. Obama anunciou o nome de Gary Gensler como futuro presidente da CFTC. Gensler foi subsecretário de Finanças do Departamento do Tesouro no governo Clinton e sócio do grupo Goldman Sachs, além de ter sido assessor econômico da pré-candidatura de Hillary Clinton à presidência dos EUA.   Tarullo atuou na administração do ex-presidente democrata Bill Clinton como assistente de política econômica. O conselho de governadores é composto, no total, por sete membros, incluindo o presidente e o vice-presidente do Fed. Atualmente, o conselho trabalha com cinco membros, incluindo o governador do Fed, Randall Kroszner, cujo mandato expirou em janeiro, mas tem permissão para ficar até sua substituição.   Os novos anuncios foram feitos quando Obama, que toma posse em 20 de janeiro, busca completar seu gabinete antes do fim desta semana, já que deve partir sábado para o Havaí em férias com a família. Obama também está terminando de decidir sobre o cargo do secretário dos Transportes. Democratas afirmaram que o posto foi oferecido a Ray LaHood, um congressista republicano que tem boa relação com o presidente eleito e também vem do Estado de Obama, Illinois. A confirmação pode ser feita na sexta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.