Giuliani, de republicano favorito a 3º nas prévias da Flórida

Após apostar todas as fichas no Estado e perder, ex-prefeito de NY deve anunciar apoio a John McCain

Delvin Barrett, da Associated Press,

30 de janeiro de 2008 | 19h25

O ex-prefeito de Nova York, Rudy Giuliani, informou a seus simpatizantes nesta quarta-feira, 30, que decidiu abandonar sua campanha pela nomeação presidencial republicana e apoiar seu rival e amigo de longa data, John McCain, senador do Arizona.  Veja também:Democrata Edwards desiste de campanhaMcCain vence na FlóridaHillary vence primária democrata na FlóridaCobertura completa das eleições nos EUAEspecial eleições americanas Seu assessor, Peter King, um legislador de Nova York, disse que Giuliani ligou para McCain nesta manhã para lhe informar sua decisão. O ex-prefeito "anunciará hoje seu apoio" a McCain, afirmou King. "Espero que realize uma campanha bastante ativa em favor de McCain. Existe uma amizade real e respeito entre ambos", acrescentou. Giuliani já chegou a liderar as pesquisas entre os pré-candidatos presidenciais republicanos. Na terça-feira, 29, no entanto, ele sofreu uma derrota devastadora nas eleições primárias da Flórida, onde havia apostado todas as fichas de sua campanha.  A estratégia se mostrou equivocada, e o ex-prefeito nova-iorquino ficou em 3º lugar, a uma grande distância do vencedor, McCain, e do ex-governador de Massachusetts, Mitt Romney, que ficou com o segundo lugar. Logo após a divulgação dos resultados, membros não-identificados do Partido Republicano disseram que Giuliani ofereceria apoio a McCain na quarta-feira, 30, na Califórnia. Os resultados das primárias foram um notável colapso para as aspirações de Giuliani. No ano passado, ele havia liderado todas as pesquisas de opinião do partido. Sua derrota, porém, representou o fim de uma estratégia pouco convencional adotada pelos chefes de sua campanha. O ex-prefeito evitou as primeiras assembléias eleitorais e primárias com a intenção de vencer na Flórida e aproveitar a vitória para se lançar numa campanha de costa a costa do país, preparando-se para a "Superterça", no próximo dia 5. Nesse dia, republicanos e democratas elegem a maioria dos delegados para a convenção nacional de seus respectivos partidos. A Flórida, entretanto, não se mostrou como um estado hospitaleiro para Giuliani. Ele foi perdendo nas pesquisas de opinião progressivamente, enquanto McCain não só fortaleceu sua presença no estado como também obteve apoio de importantes figuras políticas, entre elas o governador da Flórida, Charlie Crist.Pesquisas de boca de urna indicaram que Giuliani recebia um certo apoio entre alguns grupos hispânicos, defensores do direito ao aborto, e de algumas pessoas preocupadas com o terrorismo, porém não conseguiu dominar as pesquisas entre nenhuma área. Finalmente, McCain obteve 36% dos votos, Romney 31% e Giuliani ficou com 15%. Na votação para escolha dos delegados do partido na convenção nacional, McCain lidera com 93 votos, seguido por Romney com 59 e Mike Huckabee com 40.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições no EUARudy Giuliani

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.