Gore apóia Obama para salvar legado 'incompetente' de Bush

'Farei de tudo para eleger Obama', diz o Nobel da Paz e ex-vice-presidente de Clinton em comício em Detroit

Agência Estado e Associated Press,

17 de junho de 2008 | 07h32

O ex vice-presidente do Estados Unidos Al Gore anunciou na segunda-feira, 16, apoio formal à candidatura do democrata Barack Obama  à presidência dos EUA e prometeu ajudar o senador por Illinois a alcançar o mais alto cargo do país. Para o Nobel da Paz, Obama poderá liderar os EUA após "oito anos de incompetência, omissão e fracasso."   Veja também: Obama promete visitar Iraque e Afeganistão Possíveis vice-candidatos para Obama Obama x McCain  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    "Eu apresento a vocês o próximo presidente dos Estados Unidos," disse Gore, ao lado de Obama, em um evento em Detroit. Mais tarde nesta noite, Gore participou do comício de Obama no estádio Joe Louis em Detroit. Cerca de 20 mil pessoas lotaram o estádio. Gore aproveitou para fazer fortes ataques à gestão do presidente dos EUA, George W. Bush.   Segundo o Nobel da Paz, Bush, que o derrotou nas polêmicas eleições de 2000, desonrou e desrespeitou a Constituição americana, além de cometer os piores erros em política externa na história do país.   Em uma carta transmitida durante a tarde aos partidários de Obama, Gore, Prêmio Nobel da Paz, escreveu que "de agora até o dia da eleição, eu farei tudo o que puder para garantir que ele seja eleito presidente dos Estados Unidos."   Após o anúncio formal de Gore na tarde, Obama, que fazia campanha em uma fábrica de motores da General Motors em Flint, subúrbio de Detroit, disse que "Gore é um visionário, não apenas para o partido, mas também para o país."   Em 2000, Gore venceu a votação popular na eleição presidencial americana, mas perdeu o pleito para George W. Bush, porque o republicano obteve uma vitória contestada no Estado da Flórida, após uma controversa recontagem de votos que teve que ser validada pela Suprema Corte.   Desde então, Gore tem se dedicado a denunciar o aquecimento global e foi reconhecido no mundo pelos seus esforços - além do Nobel da Paz, ele conquistou um Oscar pelo documentário "uma Verdade Inconveniente" que mostra os efeitos da queima de combustíveis fósseis e da poluição sobre a atmosfera e o clima da Terra.   Gore é uma das figuras políticas mais populares do Partido Democrata, mas adotou um perfil discreto na disputa das primárias neste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.