Governador é preso por 'vender cadeira' de Obama no Senado

Rod Blagojevich, democrata de Illinois, era o responsável por indicar substituto para posto do presidente eleito

Agência Estado e Associated Press,

09 de dezembro de 2008 | 13h53

O governador de Illinois, o democrata Rod Blagojevich, foi preso nesta terça-feira, 9, acusado de buscar vantagens financeiras em troca da cadeira do Senado dos Estados Unidos vaga com a eleição de Barack Obama para a presidência. O FBI o acusa de, ao longo do mês passado, conspirar para vender ou trocar por benefícios a cadeira do Parlamento.   Veja também: 79% aprovam atuação de Obama na transição, diz CNN Hillary e Rice jantam juntas para iniciar transição O gabinete do presidente eleito   A acusação é baseada em escutas telefônicas autorizadas pela justiça norte-americana. Em algumas das gravações, Blagojevich buscava um emprego com alto salário para si próprio em uma fundação sem fins lucrativos ou em uma organização ligada a sindicatos trabalhistas. Ele também discutiu com obter vantagens financeiras para a mulher, Patti. Pela legislação dos EUA, o governador do Estado deve nomear o sucessor de um senador, caso este deixe o posto durante o mandato.   "Eu quero fazer dinheiro", disse Blagojevich em uma das conversas, segundo o documento do FBI. Entre os cotados para o posto estavam os deputados Danny Davis and Jesse Jackson Jr. Blagojevich, de 51 anos, assumiu em 2003, e buscava receber as vantagens após deixar o cargo. Seu chefe-de-gabinete, John Harris, de 46, também foi preso por envolvimento no caso.   Em outros trechos das gravações, o governador também ameaçou ilegalmente ameaçou retirar o apoio estadual à Tribune Co., companhia proprietária do jornal Chicago Tribune. Blagojevich pressionava pela demissão de jornalistas que foram críticos ao seu governo.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.