Hillary Clinton reconhece derrota na Carolina do Sul

Vitória marca uma retomada no impulso da campanha de Barack Obama pela Casa Branca

Associated Press,

26 de janeiro de 2008 | 23h36

A senadora e ex-primeira-dama dos Estados Unidos, Hillary Clinton, emitiu nota parabenizando seu principal adversário na disputa pela indicação do Partido Democrata para a disputa da Casa Branca, Barack Obama, pela vitória nas primárias do Estado da Carolina do Sul.   As eleições americanas Economia domina prévia da Carolina do Sul, diz pesquisa   No texto, Hillary se volta para a próxima etapa da disputa. "Para os que perderam seus empregos, suas casas ou seus planos de saúde, focarei as soluções necessárias para levar este país adiante", diz. Um porta-voz de Obama declarou que a Carolina do Sul "rejeitou a política do passado".   Resultados oficiais de 24% dos distritos do Estado, disponíveis pouco depois das 23h, dão Obama na frente com 53% dos votos, Hillary com 27% e o terceiro concorrente, John Edwards com 19%.   Pesquisas de boca de urna já indicavam Obama como vencedor por larga margem.   Cerca de metade dos eleitores que foram às urnas eram negros, de acordo com entrevistas realizadas nos locais de votação, e 80% desses apoiaram Obama. Mulheres negras compareceram em grande número.  Obama teve 25% do voto dos brancos, e Clinton e Edwards dividiram o restante.    A vitória é  a primeira de Obama desde a disputa inicial em Iowa. Hillary conseguiu uma virada em New Hampshire, e os dois candidatos dividiram o resultado da disputa em Nevada. A ex-primeira-dama espera se tornar a primeira mulher a ganhar a Casa Branca, e Obama é o mais forte candidato negro na história.   A disputa na Carolina do Sul marca o fim da primeira fase das primárias democratas, onde a disputa se deu isoladamente, por Estado, e com poucos delegados à convenção nacional do partido em jogo.   Isso tudo muda dentro de dez dias, quando Nova York, Illinois e Califórnia, juntamente com 12 outros Estados, realizam uma espécie de primária nacional.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos eua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.