Hillary defende ajuda de Bill Clinton em campanha

Senadora diz que ajuda que recebe de marido é igual a que outros pré-candidatos recebem de suas esposas

Efe,

23 de janeiro de 2008 | 04h26

A senadora Hillary Clinton defendeu nesta terça-feira, 22, a ajuda de seu marido, o ex-presidente Bill Clinton, em sua campanha como pré-candidata, por considerá-lo uma bandeira do Partido Democrata nas eleições presidenciais de novembro. Antes de viajar à Califórnia, a legisladora por Nova York comentou sobre uma guerra de palavras entre Bill Clinton e o senador Barack Obama, seu principal rival na briga para representar o Partido Democrata nas eleições presidenciais. O ex-governante fez duras críticas a Obama, que durante um debate realizado na segunda-feira disse que "às vezes não sabia com quem está concorrendo". Porta-vozes de Obama assinalaram que não era de bom tom que um ex-presidente atacasse um companheiro de partido, depois que Bill Clinton sugeriu veladamente que o senador tinha mentido sobre seus antecedentes em torno da Guerra do Iraque. "Acho que (a atitude de Clinton) não está de acordo com a imagem de um ex-presidente, e estou francamente surpreendido por sua atitude", disse o ex-senador Tom Daschle, que manifestou seu apoio a Obama. Hillary afirmou que o respaldo recebido por seu marido na campanha não é diferente do apoio que os outros pré-candidatos democratas recebem de suas esposas. "Cada um dos que esteve no debate conta com um entusiasta e dedicado respaldo de seu cônjuge", disse a senadora por Nova York. A ex-primeira-dama descartou também a possibilidade de a intervenção de seu marido criar divisões no Partido Democrata. "Isso não tem absolutamente nada a ver com um Partido Democrata unificado e com o apoio a quem for o candidato presidencial", assinalou.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.