Hillary e Obama voltam a se atacar durante debate

Pré-candidatos trocam acusações sobre Iraque, declarações do passado e comportamento de Bill Clinton

Efe,

22 de janeiro de 2008 | 03h22

As diferenças entre os senadores Barack Obama e Hillary Clinton, principais pré-candidatos democratas à Presidência dos Estados Unidos, ficaram evidentes mais uma vez nesta segunda-feira, 21, durante um acalorado debate, no qual se atacaram duramente. Veja também: McCain e Hillary lideram pesquisas realizadas em Nova York O debate, organizado pela CNN, aconteceu na Carolina do Sul, estado que vai sediar mais uma das primárias democratas no próximo sábado. Após comentarem brevemente sobre os desafios que a maior economia do mundo enfrenta, o debate mudou rapidamente de direção e tom. Entre aplausos e protestos do público, Hillary e Obama trocaram acusações mútuas sobre temas como a Guerra do Iraque, declarações do passado e o comportamento de Bill Clinton na campanha eleitoral. Hillary e Obama se interromperam em várias ocasiões, mas na segunda parte do debate os dois democratas se acalmaram, ocasião em que o também pré-candidato John Edwards aproveitou para assumir a palavra. Declarações de Obama sobre Ronald Reagan deram munição ao debate, já que o senador por Illinois disse que os Clinton tinham distorcido suas palavras ao afirmar que ele apóia os republicanos. Obama disse recentemente que Ronald Reagan mudou a trajetória da América de uma forma que nem Richard Nixon ou Bill Clinton fizeram. Segundo Bill Clinton, esta declaração demonstra que o senador prefere os republicanos. Hillary respondeu à argumentação de Obama afirmando que seu marido tinha dado esta declaração e que era ela quem estava no debate, e não ele. "Houve uma série de afirmações de Hillary e de seu marido que não correspondem à verdade. Acho que o povo procura agora por alguém que resolva os problemas, e não por alguém que recorra à mesma política típica que vemos em Washington", alegou Obama. A ex-primeira-dama contra-atacou afirmando que quando Obama "diz algo, imediatamente retifica depois e alega que o que queria dizer era outra coisa". Neste ponto, Hillary lembrou que Obama, que se opôs à invasão dos Estados Unidos ao Iraque, votou a favor do financiamento da guerra e disse que apoiava o presidente George W. Bush. Além disso, a senadora por Nova York afirmou que seu adversário não se pronunciou sobre sua postura, uma crítica que foi apoiada por Edwards. "Você nunca se responsabiliza por nenhum voto seu, não se pronuncia", disse. Em outro momento, Hillary disse que Obama tinha várias "más" idéias, e lhe perguntou como pensa em financiar "todos os programas sociais que os democratas propõem nesta campanha", já que isso "não consta em nenhum lugar". Obama acusou a ex-primeira-dama de não jogar limpo na campanha e de dizer qualquer coisa para ser escolhida presidente.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.