Hillary empresa mais US$ 1 mi para cobrir dívida de campanha

Ex-pré-candidata coloca mais verba além dos US$13,2 mi do próprio bolso para saldar credores imediatos

Michael Luo, The New York Times

21 de julho de 2008 | 14h32

A senadora Hillary Rodham Clinton emprestou à sua campanha US$ 1 milhão adicionais no fim de junho, mostrando a dificuldade que está tentando para manter em dia pagamento a credores e pagar o débito de campanha, segundo dados apresentados pela Comissão Eleitoral Federal.   Veja também: Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    Mesmo com o fim da disputa pela indicação democrata se aproximando no início de junho, quando o senador Barack Obama despontou como virtual candidato do partido, as dívidas de Hillary cresceram para US$ 12 milhões, além dos US$ 13,2 mi que ela havia emprestado anteriormente e que, segundo a lei eleitoral americana, são incluídos nos débitos de campanha.   Mo Elleithee, porta-voz de Hillary, disse que o empréstimo adicional foi feito para "pagar débitos imediatos". As contas a pagar de Hillary e o esforço de Obama com os seus doadores em ajudá-la a arrecadar fundos para cobrir suas despesas foram pontos sensíveis para atrair os simpatizantes da senadora e unificar o partido. O próprio Obama apresentou uma doação de US$ 2,300 no final de junho como gesto simbólico, e a campanha do candidato segue pedindo ajuda por e-mail por doações para Hillary. Porém, a campanha da senadora arrecadou apenas US$ 2,7 mi em junho, longe dos US$ 5,4 gastos no período.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUAHillary Clinton

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.