Hillary passa Obama nas pesquisas em Ohio e Pensilvânia

Senadora precisa vencer prévias de 4 de março para salvar campanha após vitórias do rival no final de semana

Agências internacionais,

14 de fevereiro de 2008 | 10h05

A pré-candidata democrata Hillary Clinton aparece na frente do senador Barack Obama nas pesquisas realizadas nos Estados de Ohio e Pensilvânia, cruciais nas próximas primarias, de acordo com uma sondagem divulgada pela Universidade de Quinnipiac nesta quinta-feira, 14.   Obama e McCain já falam como candidatos Obama aproveita vitórias e ataca Hillary e McCain Vitória agrava crise na campanha de Hillary  Guterman: Hillary acabou? Pense de novo Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    A senadora de Nova York, que perdeu oito primárias para Obama, tem 55% de apoio em Ohio contra os 34% do rival. Entre os eleitores democratas, Hillary tem o apoio da maioria das mulheres (56%) e uma pequena vantagens entre os homens (52%). Obama tem 30% do apoio do eleitorado feminino e 42% do masculino. As pesquisas mostraram ainda que Hillary tem 52% dos votos na Pennsylvania, contra 36% de Obama.   "Ohio tem uma boa margem demográfica para Hillary", afirmou Peter Brown, pesquisados do Instituto de Pesquisas da Universidade de Quinnipiac. Ohio, Rhode Island, Texas e Vermont realizarão suas prévias no dia 4 de março. Na Pensilvânia, a votação acontece no dia 22 de abril.   Obama terá de continuar convertendo eleitores de Hillary nesses redutos, onde o perfil demográfico favorece à senadora. Em Ohio, trabalhadores de classe média - afetados pela desaceleração econômica - e idosos são a maioria do eleitorado. No Texas, 30% dos eleitores são latinos. Todos integrantes do eleitorado cativo da senadora.   Apesar dos números da nova pesquisa, as prévias desta semana mostraram que o senador Barack Obama está invadindo o terreno político de sua rival, a senadora Hillary Clinton, e mostrando que consegue apoio de vasta parcela do eleitorado. O resultado das primárias de Washington DC, Maryland e Virgínia mostra que Obama tem conquistado eleitores que tradicionalmente votavam em Hillary - mulheres, trabalhadores de baixa renda e cidadãos sem educação superior. Obama mostrou que consegue apoio de uma base diversificada de eleitores e não é um candidato limitado a um nicho, segundo especialistas.   "Obama precisa continuar expandindo sua base eleitoral para ir bem no Texas e em Ohio", diz o professor Cole Blease Graham Jr., professor de Ciência Política na Universidade da Carolina do Sul. Além de avançar no terreno de Hillary, Obama manteve a fidelidade de seu eleitorado tradicional - 90% dos negros votaram no senador, 66% dos eleitores abaixo de 40 anos, 66% dos independentes e 58% dos eleitores pós-graduados. Em Maryland, a situação foi semelhante.   A pesquisa em Ohio foi feita com 1.748 eleitores e tem margem de erro de 2,3 pontos percentuais. Na Pensilvânia, foram entrevistados 1.419 eleitores, com margem de erro de 2,6 pontos percentuais.   (Com Patrícia Campos Mello, de O Estado de S. Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.