Hillary tem de vencer no Texas e Ohio para continuar na disputa

Caso Obama vença, candidatura da senadora ficará muito difícil; prévias podem trazer a nomeação de McCain

Reuters,

03 de março de 2008 | 19h19

O pré-candidato democrata Barack Obama entra nas primárias desta terça-feira, 4, com um histórico de 11 vitórias nas votações anteriores, esperando uma disputa acirrada com a senadora Hillary Clinton em Texas e Ohio.  Veja também:Com apoio de Chuck Norris, Huckabee pede voto dos estudantesObama lidera no Texas e empata com Hillary em OhioExcesso de confiança prejudicou Hillary Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  John McCain, pré-candidato republicano, com sua candidatura quase certa, lidera as pesquisas na disputa com o governador Mike Huckabee nos dois estados, e pode estar muito perto de conseguir o número necessário de delegados para ter a indicação republicana. Veja a seguir alguns possível cenários para a corrida presidencial americana após as primárias de Texas e Ohio. Se Obama ganhar: as duas vitórias nesses grandes estados pode levar o senador a conseguir o apoio de mais delegados na convenção do partido, levar seu favoritismo às próximas disputas e trazer o clima de invencibilidade a sua campanha. Os 'superdelegados', que podem votar em quem quiserem, podem acompanhar a tendência e ir para o seu lado. Embora ainda haja estados que serão palcos de outras disputas, o caminho para a vitória de Hillary se tornará extremamente complicado. Se Hillary ganhar: sua campanha voltará aos trilhos. Ela quebraria a sequência de vitórias de seu rival e traria a sua campanha o importante apelo de que a senadora pode ganhar nos grandes estados - como Califórnia, Nova York e New Jersey, vitais para os democratas nas eleições de novembro. O dinheiro, que estava fluindo no último mês, poderia continuar a chegar e seus superdelegados estariam menos dispostos a uma mudança de lado. Mesmo com a vitória, Obama ainda poderia continuar a receber novos apoios de delegados, ao menos que a senadora vença com uma grande margem de diferença. Se Obama e Hilary empatarem: muitos analistas acreditam que Obama poderia se sair melhor nessa hipótese. Ele adicionaria delegados a sua campanha e mostaria que também pode vencer num grande estado. Hillary, no entanto, interromperia sua série de vitórias e poderia se focar na disputa da Pensilvânia, em 22 de abril, que tem uma população similar à Ohio. A senadora teria maiores chances de repensar sua campanha para o futuro. Se John McCain ganhar com um grande número de votos: uma grande noite para McCain poderia impulsioná-lo a chegar muito perto - ou, dependendo do que acontecer, ultrapassar o número de 1.191 delegados necessários - da nomeação republicana em setembro. Do jeito que os republicanos estruturam a votação de terça-feira, será muito dificil que Huckabee consiga um número razoável de delegados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.