Hillary vai ao Senado buscar aprovação como secretária

Testemunho para confirmar indicação de Obama pode dar pistas da diplomacia que será adotada pelo governo

Agências internacionais,

13 de janeiro de 2009 | 02h00

Hillary Clinton, designada pelo presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, como próxima secretária de Estado, participará de uma audiência no Senado nesta terça-feira, 13. Ela deve enfrentar o ceticismo de alguns republicanos, embora esteja prevista sua confirmação no cargo. Hillary irá a sua audiência de confirmação na Comissão de Relações Exteriores do Senado às 12h30 (Brasília), presidida por John Kerry, senador e candidato presidencial em 2004.   Veja também: Obama nomeia ex-auxiliares de Clinton para o Pentágono   Uma vez confirmada no cargo, Hillary seria a terceira mulher a liderar a diplomacia americana, após Madeleine Albright e a atual secretária de Estado, Condoleezza Rice.  Entre os temas que Hillary planeja apresentar em seu testemunho, podem aparecer pistas de como ela pretende liderar a diplomacia americana no governo Obama, como nas relações com o Irã, Iraque, Coreia do Norte e o conflito entre israelenses e palestinos.   Segundo seus assessores, Hillary começou a se preparar para a audiência há vários dias, estudando as respostas que dará a perguntas que podem minar sua confirmação no cargo, como as sobre seu marido, Bill Clinton. Na noite de segunda-feira, a secretária de Estado de Bush, Condoleezza Rice, e o conselheiro de segurança nacional Stephen Hadley receberam Hillary e o sucessor de Hadley, o general aposentado James Jones, em um jantar no Departamento de Estado, segundo afirmaram oficiais.   Os democratas estão tão confiantes que Hillary será confirmada que só programaram um dia de audiências e, aparentemente, nem todos os republicanos a vêem com receio. Na quinta-feira passada, a futura secretária de Estado se reuniu com o senador republicano Johnny Isakson, que disse encontrá-la "muito por dentro" do que acontece no mundo. E o senador republicano Jim DeMint, que ordenou a seus assessores que investigassem qualquer possível conflito de interesse de Hillary com as atividades de Clinton, também a elogiou como uma figura instruída.   Hillary se reuniu com todos os membros da comissão do Senado, entre eles o principal republicano, Richard Lugar, que considera que ela alcançará a aprovação. Na quarta-feira, a mesma comissão terá a audiência de confirmação de Susan Rice como embaixadora dos EUA perante a ONU. Rice e Clinton foram designadas para esses cargos por Obama em novembro passado e, como ocorre com todos os postos do novo Gabinete, requerem a confirmação do Senado.   Os democratas, que chegaram à maioria no Senado após o pleito de 4 de novembro, querem votar a confirmação de todos, ou quase todas as nomeações para o Gabinete, ainda antes da posse de Obama, no dia 20 de janeiro.   Matéria atualizada às 9h20.

Tudo o que sabemos sobre:
Hillary ClintonEUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.