Hillary vence prévias em Ohio e Texas e ganha fôlego na disputa

Vitórias mantêm chances da senadora na disputa contra Obama; McCain é o candidato do Partido Republicano

Agências internacionais,

05 de março de 2008 | 01h23

A senadora e ex-primeira-dama Hillary Clinton mantém suas chances de obter a nomeação do partido ao vencer seu rival, o também senador Barack Obama, em Rhode Island, Ohio e Texas nesta terça-feira. Após 12 derrotas consecutivas, Hillary volta a respirar na luta pela indicação democrata, principalmente por ter garantido a vitória nos últimos dois Estados. Obama venceu a prévia em Vermont. No Partido Republicano, John McCain garantiu a indicação ao vencer nos quatro Estados.   Veja também: John McCain consegue a nomeação republicana Barack Obama tem vitória fácil em Vermont Obama lembra que ainda mantém vantagem Para Hillary, vitórias vão 'recuperar' campanha Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA       A disputa nas prévias do Estado do Texas foi bem apertada. A ex-primeira-dama conseguiu 51% dos votos e Obama ficou com 47%. Dos 228 delegados do Estado, 126 são escolhidos por meio de votação direta. Após o fechamento das urnas, os eleitores participaram de um caucus, que indicará outros 67 delegado estaduais. Os 35 restantes são superdelegados, que são parte da direção do partido e não são eleitos pelo voto direto. Com 36% do caucus apurado, o senador tinha 52% contra 48% de Hillary.   Em Ohio, Hillary ficou com 55% contra 43% de Obama. Em Rhode Island, a vantagem da senadora foi bem maior, Hillary obteve 58% e Obama, 40%. Em Vermont, o senador venceu com 60%.   Apesar de o marido de Hillary, o ex-presidente Bill Clinton, ter dito que a democrata precisava vencer nas prévias de Ohio e no Texas , a campanha da senadora tentou mudar essa mensagem dizendo que ganhar em apenas um dos dois Estados já seria suficiente para dar combustível até a primária da Pensilvânia, no fim de abril. Aos que já consideravam Hillary carta fora do baralho, seus assessores lembravam da primária de New Hampshire, em 8 de janeiro, quando a senadora conseguiu frear a ascensão de Obama ao conquistar uma vitória surpreendente.   Aparentemente, a estratégia deu certo. A campanha de Hillary deve tentar retratar a vitória em Ohio, por mais de 10 pontos de vantagem, como uma "grande virada".  Mesmo assim, Hillary deve continuar bem atrás de Obama no número total de delegados, uma vez que eles são alocados de forma proporcional e de acordo com cada distrito eleitoral. Apesar disso, será difícil convencê-la a desistir e deixar Obama, com maior número de delegados, ser confirmado como candidato.   Partido Republicano   Ex-prisioneiro de guerra, condecorado por bravura no combate do Vietnã, o senador republicano pelo Arizona, John McCain, de 71 anos, venceu as quatro prévias desta terça-feira – em Ohio, Texas, Rhode Island e Vermont – e converteu-se oficialmente no candidato de seu partido para as eleições presidenciais americanas de novembro.   Com o triunfo, o senador conquistou mais de 150 delegados, ultrapassando o número mágico de 1.191 representantes necessários para assegurar a indicação do partido. Ainda antes da divulgação oficial do resultado, o principal rival de McCain, o ex-governador de Arkansas Mike Huckabee, anunciou que se retirava da disputa e prometeu apoiar o senador na eleição de novembro.   "A campanha mais importante começa agora", disse McCain em seu discurso de vitória. "O próximo presidente dos EUA deve se comprometer em trazer de volta nossos soldados que estão no Iraque sem pôr em risco a segurança daquele país", acrescentou, indicando qual será sua proposta para o tema, que divide os americanos. Espera-se para hoje uma declaração do presidente George W. Bush, também republicano, de apoio à candidatura McCain.   (Com Patrícia Campos Mello, de O Estado de S. Paulo)   Matéria atualizada às 6h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.