Hillary vence prévias na Virgínia Ocidental, aponta projeção

Confirmando seu favoritismo no Estado, senadora derrota Obama; vitória estende mais a disputa

Agências internacionais,

13 de maio de 2008 | 20h42

A senadora Hillary Clinton venceu seu rival democrata Barack Obama nas eleições primárias de Virgínia Ocidental nesta terça-feira, 13, segundo projeções da rede CNN. Confirmando seu favoritismo no Estado, que enviará 28 delegados para a convenção do partido em agosto, a vitória deve manter a senadora por Nova York na corrida pela indicação democrata. Segundo projeções da agência Associated Press, Hillary teria ganhado o apoio de 15 dos superdelegados do Estado.   Veja também: Vitória de Hillary pode trazer novo fôlego à campanha, diz CNN Obama é favorito nas eleições contra McCain, diz jornal Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    Com uma índice relativamente grande de eleitores brancos, operários e com uma média de idade maior, o Estado aparece como um cenário perfeito para a senadora do ponto de vista demográfico. Quase 95% dos eleitores do Estado são brancos e metade são de áreas rurais, fatores demográficos que contribuem diretamente para uma grande vitória da ex-primeira-dama. O senador Barack Obama, tradicionalmente sofre de uma grande rejeição por parte deste eleitorado.   Antes da vitória de Hillary nesta terça-feira, cresceram as especulações sobre a saída da senadora da corrida presidencial, apesar de seu favoritismo para estas prévias. Do The Wall Street Journal até o New York Post e à rede CNN, a grande pergunta não foi se Hillary pode ser a candidata à presidência, mas quais são as conseqüências de sua permanência na disputa pela Casa Branca e os possíveis planos para que ela saia de cena.   Na prática, com a vantagem do senador Barack Obama no voto popular - segundo apontam pesquisas - e seu número maior de apoios entre os superdelegados, os resultados da Virgínia Ocidental não devem aumentar as chances de Hillary de ganhar a nomeação. Apesar disso, o êxito da senadora no Estado pode criar novas dúvidas sobre a capacidade de Obama de vencer o virtual candidato republicano, John McCain, nos "swing states" (estados que tradicionalmente variam entre o voto democrata e republicano) em novembro.   Em um sinal de que o otimismo na campanha de Hillary pode estar acabando, um de seus seguidores mais leais, James Carville, declarou que Obama seria provavelmente o indicado pelo partido Democrata, informou o jornal New York Times. "Eu acho que Obama será o nomeado, mas não tenho certeza", disse Carville, que trabalhou na campanha de Bill Clinton em 1992 e é próximo do casal.   Segundo o jornal The Washington Post, menos de uma hora depois de ser declarada a vitória de Hillary na Virgínia Ocidental, a campanha da senadora enviou um e-mail a milhares de correligionários dizendo que a disputa está longe de terminar. "Depois da tremenda vitória na Virgínia Ocidental, está claro que aqueles que declararam que a corrida estava encerrada estavam errados. Os eleitores disseram muito claramente que querem que a disputa continue". Hillary também pediu mais doações na mensagem.   Resistência   Em um pronunciamento logo após as primeiras projeções da imprensa americana, Hillary disse que está mais determinada do que nunca a manter sua campanha viva. "Como diz a canção, estou quase no paraíso. Se vocês me derem a oportunidade, eu voltarei à Virgínia Ocidental as eleições gerais de novembro para chegarmos à Casa Branca", disse e ainda completou: "A corrida não acabou. Nenhum de nós tem o número de delegados necessários para a vitória."   Foto: Reuters Hillary também elogiou os apoiadores de Obama. "Sim, nós tivemos algumas lutas ao longo do caminho, mas o comprometimento deles em trazer uma nova liderança significa que nós sempre temos que manter firme naquilo que achamos mais importante", disse Hillary.   Enquanto isso, o senador Bob Casey, apoiador de Obama, afastou a hipótese de que a vitória de Hillary será um problema, argumentando que Obama venceria Jonh McCain nas eleições de novembro, como apontam pesquisas divulgadas esta semana, informou o Washington Post.   Após as primárias desta terça-feira, a disputa irá para o Kentucky e Oregon, que votarão na próxima semana. Espera-se que Hillary vença em Kentucky, enquanto em Oregon Obama é o favorito.   Segundo a contagem da agência Associated Press, Obama tem o apoio de 1.875 delegados, enquanto Hillary conquistou 1.712. São necessários 2.025 delegados para o candidato obter a indicação democrata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.