Hollywood e sua influência nas eleições americanas

Cantor Mellencamp e sua mulher, Elaine Irwin, vão a comício de Obama e marcam aparição em evento de Hillary

The New York Times,

23 de abril de 2008 | 19h55

Se há alguma dúvida sobre a influência de Hollywood nas eleições presidenciais deste ano, considere isso: após alguns minutos de discurso em Indiana na noite de terça-feira, 22, o senador Barack Obama fez um importante anúncio - o cantor John Mellencamp e sua mulher, a modelo Elaine Irwin, iriam se juntar ao time naquela noite.  Veja também:Esforço de Hillary na Pensilvânia não garante sucessoHillary vence Obama nas prévias da PensilvâniaConfira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  "Eu quero agradecer John Mellencamp e sua linda esposa, Elaine, por arrumarem tempo para estar aqui hoje, dirigindo desde Bloomington". Mas há apenas um problema: Mellencamp também estará em um evento de Hillary Clinton em 3 de maio; dessa vez, em Indianápolis. Isso indica que o cantor, que apoiou ativamente a campanha do senador John Edwards antes dele sair da corrida presidencial, está dividindo seu tempo entre Obama e Hillary. Havia uma explicação pronta para ser publicada no site de Mellencamp nesta quarta-feira: "John Mellencamp apóia há muito tempo o Partido Democrata, que ele acredita melhor representar a esperança pela mudança necessária para este país. Por isso, ele empresta seu apoio para os dois candidatos, como um hoosier (natural de Indiana) e um democrata". Secretamente, o cantor se decidiu sobre qual dos dois ele apoiará, segundo seu publicitário, Bob Merlis. Ele estaria apenas guardando a decisão para si. Por enquanto.  'Daily Show' Os programas de comédia continuam colocando questões de entretenimento para os candidatos. Jon Stewart levou seu prêmio nesta semana quando Obama apareceu no Daily Show. "A controvérsia do reverendo Wright, do broche de bandeira...", começou Stewart. "Você usará artifícios legais, sir, e escravizará a corrida branca? É esse seu plano?" Obama, agora bem escolado nas técnicas dos comediantes, riu. "Não é nosso plano, Jon, mas eu acho que sua paranóia poderia lhe tornar apto para moderar um debate", brincou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.