Huckabee protesta contra resultado de prévias em Washington

Pré-candidato republicano exige contagem integral dos votos na única primária em que foi derrotado no sábado

Reuters,

11 de fevereiro de 2008 | 13h22

Mike Huckabee, pré-candidato do Partido Republicano à Presidência dos Estados Unidos, contestou o resultado das prévias realizadas neste fim de semana no Estado de Washington, onde perdeu por pouco para o também pré-candidato John McCain.   Obama vence no Maine e pode romper impasse democrata Hillary troca comando de campanha Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    O comitê de campanha de Huckabee disse estar estudando a adoção de medidas jurídicas para assegurar a contagem integral dos votos de sábado após "resultados finais dúbios". Os advogados dele chegaram a Washington no domingo à noite. "Desejamos garantir uma eleição justa ali. E não temos certeza de que houve realmente justiça naquele caso", afirmou Huckabee em uma entrevista ao programa Today Show, do canal NBC.   Segundo o pré-candidato, autoridades do Partido Republicano pararam de contar os votos quando 87% do total haviam sido apurados. McCain liderava por 242 votos de um total de cerca 12 mil naquele momento. Por volta de 1.500 votos não teriam sido apurados, afirmou o comitê de campanha de Huckabee.   "Vamos exigir a contagem total dos votos. Vamos garantir que isso aconteça. Parece que, de forma arbitrária, o presidente do partido decidiu estar seguro sobre qual seria o resultado final", disse Huckabee à CNN.   McCain, senador pelo Estado do Arizona que se tornou o líder das prévias republicanas na semana passada, quando seu maior adversário, Mitt Romney, desistiu da disputa. McCain foi vencido por Huckabee em duas das três prévias estaduais realizadas no fim de semana. O ex-governador do Arkansas e pastor batista derrotou McCain na Louisiana e no Kansas.   Vice-candidatura   Apesar das vitórias, é quase impossível que Huckabee consiga reverter a vantagem do senador John McCain, que já pensa em um companheiro de chapa para as eleições de novembro. A maior dúvida agora na corrida republicana é saber quando Huckabee jogará a toalha e quem McCain escolherá como vice de sua chapa. Analistas acreditam que Huckabee só continua na disputa porque ele quer superar o número de delegados do ex-governador de Massachusetts Mitt Romney, que abandonou a corrida na quinta-feira, e aumentar seu poder para reivindicar o posto de vice ao lado de McCain.   Apesar da relação cordial entre Huckabee e McCain - que nunca desferiram ataques pesados um contra o outro durante a campanha -, a maioria acredita que o senador deva escolher alguém mais atraente para ser seu companheiro de chapa. O favorito do momento é o governador da Flórida, Charlie Crist, que já apóia a campanha de McCain e poderia atrair o voto importantíssimo dos eleitores da Flórida para os republicanos.   Fontes de dentro da campanha de McCain dizem que o senador também pensa em Mark Stanford, governador da Carolina do Sul e um conservador de carteirinha, ou em Tim Pawlenty, governador de Minnesota e um velho amigo.   Nas primárias de sábado, Huckabee foi ajudado pela desistência de Romney, que dividia com ele o voto conservador, e pela rejeição de muitos republicanos ao nome do senador McCain, considerado liberal demais para as tradições do partido.   Com a saída de Romney, que tinha 285 delegados, McCain praticamente garantiu a nomeação republicana. Analistas afirmam que só um milagre faria Huckabee, que após a noite de ontem soma 234 delegados, ultrapassar o senador, que já conquistou 724 delegados. A regra do jogo no campo republicano dá ao vencedor das prévias em um determinado Estado todos os delegados desse Estado. Mas em alguns poucos Estados, a distribuição de delegados é proporcional, como no lado democrata.   Milagre   "Eu não sou bom em matemática, mas entendo de milagres. E eu ainda acredito neles." Foi assim que Huckabee, que é pastor batista - uma denominação tradicional evangélica -, dirigiu-se a uma multidão em Maryland, no sábado, após saber de sua vitória em Kansas. Ele obteve 60% dos votos, enquanto McCain ficou atrás, com 24%.   Em Louisiana, mais um milagre. A vitória, no entanto, foi bem apertada. Huckabee obteve 44% dos votos e McCain, 42%. Segundo as regras do Partido Republicano de Louisiana, o ganhador no Estado leva todos os delegados, mas só no caso de haver um vencedor por maioria simples. Como ninguém conseguiu mais de 50% dos votos, 20 dos 47 delegados de Louisiana serão escolhidos apenas na convenção estadual no fim de semana que vem.   (Com New York Times e Associated Press)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.