Evan Vucci / AP
Evan Vucci / AP

'Impeachment é uma fraude contra o povo americano', diz Donald Trump

Presidente dos Estados Unidos teria pressionado o mandatário ucraniano Volodmir Zelenski a investigar o filho de seu oponente, Joe Biden

Iander Porcella, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2019 | 13h30

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chamou de “uma fraude contra o povo americano” o processo de impeachment aberto contra ele pela presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, a democrata Nancy Pelosi.

Para Entender

O processo que pode levar ao impeachment de Trump

É possível que o presidente americano seja deposto? Como ficam as eleições americanas de 2020? Fique por dentro dessas questões com este conteúdo especial

Neste sábado, Trump disse em sua conta oficial no Twitter que o relato de um denunciante sobre a ligação dele com o mandatário ucraniano Volodmir Zelenski “não chega nem perto” da realidade. O processo de impeachment foi aberto devido a Trump ter supostamente pressionado Zelenski, na ligação, a investigar o filho do ex-vice-presidente e nome forte do Partido Democrata para as eleições de 2020, Joe Biden.

Trump criticou a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, e o também democrata Adam Schiff, que lidera a investigação contra o presidente americano. “Schiff e Pelosi nunca pensaram que eu divulgaria a transcrição da ligação. Os peguei de surpresa, eles foram pegos”, escreveu o presidente.

Trump também respondeu a críticas do senador republicano Mitt Romney. “Alguém por favor acorde Mitt Romney e diga a ele que minha conversa com o presidente ucraniano foi agradável e muito apropriada, e minha declaração sobre a China se refere à corrupção, não à política”, escreveu.

Na sexta-feira, 4, Romney escreveu no Twitter que “pelo que parece, o apelo descarado e sem precedentes do presidente (Trump) à China e à Ucrânia para investigar Joe Biden é errado e assustador.”

Trump emendou que Romney “nunca soube como ganhar” e o chamou de “idiota pomposo”. O presidente americano escreveu, ainda, que o senador republicano implorou pelo apoio dele à candidatura ao Senado e também para ser secretário de Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.