Joe Biden diz que crítica de Obama a McCain é 'terrível'

Vice democrata ataca vídeo no qual seu colega de chapa criticou o rival por não saber usar computador

Gabriel Pinheiro, do estadao.com.br,

23 de setembro de 2008 | 16h24

O candidato democrata à vice-presidência americana, Joe Biden, atacou um anúncio de Barack Obama no qual seu rival republicano, John McCain, é criticado por não ter conhecimentos em informática. Perguntado por uma repórter da rede CBS se ele estava desapontado pelo tom negativo da campanha, citando o vídeo recente, Biden respondeu: "A propósito, acho que isso foi terrível". "Não sabia que fizemos isso, e se tivesse alguma coisa a ver, nunca teríamos feito", continuou o vice democrata, conhecido nos Estados Unidos por diversas gafes.   Veja também: Assista ao vídeo com a declaração de Biden Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    Segundo a emissora Fox, no entanto, Biden disse não acreditar que havia ataques pessoais no vídeo de seu colega de chapa. Ele também argumentou que o anúncio não se equipara ao nível negativo de um anúncio do republicano, no qual ele acusa o candidato democrata de ter votado a favor do ensino sexual a crianças para ajudá-las a evitar assédio. O "grau é muito diferente", afirmou Biden.   A campanha de McCain rapidamente se pronunciou. "Enquanto o New York Times e a mídia silenciam diante dos ataques descarados e desonráveis de Barack Obama contra John McCain, agora até o colega de chapa de Obama condenou seu ataque", declarou o porta-voz Brian Rogers em comunicado.   O democrata trouxe "as políticas desprezíveis de Chicago para nosso cenário nacional, expondo seus pedidos para uma 'nova política' como uma mentira e embaraçando até seu próprio colega de chapa", completou a nota, de acordo com a Fox.   Joe Biden, escolhido pelo democrata para trazer experiência em segurança nacional para sua candidatura, já cometeu várias gafes. No início da disputa pela indicação presidencial da legenda, o senador afirmou que Obama era o primeiro "afro-americano que sabe falar bem, que é bonito e genial". Em outra ocasião, ele disse que acreditava que Obama poderia estar pronto para ser presidente um dia, mas até o momento não estava.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.