Maioria dos americanos confia em medidas políticas de Obama

77% diz que novo presidente deve fazer mudanças drásticas na área da saúde, diz pesquisa publicada no 'Post'

Efe,

21 de dezembro de 2008 | 14h41

A maioria dos americanos está otimista com as medidas políticas que o presidente eleito, Barack Obama, adotará quando chegar ao poder, em 20 de janeiro, segundo uma pesquisa publicada neste domingo, 21, pelo jornal The Washington Post.   Veja também: Obama escolhe especialista em clima como consultor científico Completando gabinete, Obama anuncia últimos quatro nomes O gabinete do presidente eleito   Segundo a pesquisa, 75% dos cidadãos acredita que o futuro líder deve iniciar medidas para reduzir o aquecimento global, e 77% diz que deve fazer mudanças drásticas no sistema de saúde. Além disso, uma grande maioria espera que Obama coloque fim ao conflito no Iraque e crê que melhorará a imagem dos Estados Unidos no exterior.   Outros dois terços dos americanos acham que o presidente eleito deve se concentrar primeiro na economia, algo que Obama anunciou como sua prioridade absoluta quando assumir o poder.   Por outro lado, 65% dos consultados declara seu apoio a um plano de estímulo econômico similar ao que Obama afirma que iniciará quando chegar à Casa Branca, e que prevê a criação ou conservação de cerca de três milhões de empregos e investimentos em infra-estrutura, novas tecnologias e fontes alternativas de energia.   No entanto, o apoio a Obama, segundo a pesquisa, se encontra muito dividido de acordo com as simpatias políticas dos consultados. Assim, a maioria dos democratas e dos independentes quer que o futuro líder retire as tropas americanas do Iraque, enquanto a maior parte dos republicanos é contra a idéia.   Uma maioria dos republicanos também se opõe a ampliar os fundos federais para a pesquisa com células-tronco procedentes de embriões, algo que a metade dos independentes e a maioria dos democratas reivindicam que o novo governo faça imediatamente.   Apesar disso, os republicanos dão mais apoio a uma moratória nas execuções de hipotecas. Obama criticou bastante o Departamento do Tesouro por não ter destinado mais fundos a ajudar os proprietários de imóveis com problemas para fazer seus pagamentos.   Além disso, 52% dos republicanos e 55% dos democratas querem que Obama estabeleça um período durante o qual os bancos não possam executar as hipotecas atrasadas.   Uma promessa de Obama à qual os americanos não parecem conceder muito crédito é o fechamento da prisão na base naval de Guantánamo, em Cuba. Independentes e republicanos se mostram contrários e inclusive entre os democratas, que são favoráveis ao fechamento da prisão, a maioria diz que isso pode ser feito no futuro.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.