Mais de 15 milhões já votaram em eleições antecipadas nos EUA

Eleitores democratas foram mais às urnas do que republicanos; votação adiantada vai até o dia 2 de novembro

Efe,

29 de outubro de 2008 | 18h43

Pelo menos 15 milhões de americanos já votaram antecipadamente nos cerca de 30 Estados do país que permitem aos eleitores entregar sua cédula por correio ou pessoalmente, segundo a Universidade George Mason. Michael McDonald, professor dessa universidade, faz uma apuração das pessoas que já depositaram seu voto há menos de uma semana das eleições legislativas e presidenciais do próximo dia 4 de novembro.   Veja também: Pesquisa mostra Obama à frente na Pensilvânia e Ohio Enquete: Você votaria em McCain ou Obama?  Confira os números das pesquisas nos Estados  Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   Os dados, que se baseiam nas estatísticas oficiais, indicam que um total de 2,3 milhões de pessoas já votaram na Califórnia, 2,5 milhões na Flórida, dois milhões no Texas e aproximadamente 1,5 milhão na Carolina do Norte e na Geórgia.   Os eleitores registrados como democratas votaram mais que os cadastrados como republicanos nos dez Estados que tornam públicos os dados dos votos antecipados. O diário The Wall Street Journal lembra em seu site que muitos grandes estados como Pensilvânia, Michigan, Minnesota, Missouri e Wisconsin não oferecem dados de votação antecipada, o que cria um retrato incompleto do mapa eleitoral.   O Estado de Nevada, um dos onde as disputas são mais apertadas, oferecem os dados por condado. As autoridades estatais informaram, segundo o diário Journal, que 54% dos votos antecipados em Las Vegas correspondem a democratas, comparados com 30% atribuídos aos republicanos.   Os números são mais apertados ainda no Colorado, onde os democratas entregaram 39% dos um milhão de votos que já foram depositados e os republicanos, 38%. A etapa das eleições adiantadas vai até o dia 2 de novembro. A votação geral começa no dia 4.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.