Mais de 300 mil buscam cargo na administração Obama

Número supera cifras dos que tentaram um emprego nas gestões de Clinton e Bush; Presidência indicará 8 mil

Da Redação, estadao.com.br

22 de dezembro de 2008 | 17h31

A poucas semanas de tomar posse, o presidente americano eleito, Barack Obama, tem recebido um número surpreendente de pedidos de diferentes pessoas que querem trabalhar na nova administração. "Na verdade, tivemos mais de 300 mil expressões de interesse" afirmou o porta-voz da transição de Obama, Nick Shapiro, à rádio CNN.   Veja também: Obama anuncia últimos nomes do gabinete O gabinete do presidente eleito   A cifra supera os 44 mil que buscaram um cargo na administração George W. Bush em 2001 e os cerca de 100 mil que tentaram uma vaga no governo Bill Clinton em 1993, segundo a CNN. A administração Obama toma posse em 20 de janeiro de 2009.   A transição também está causando um crescimento nos negócios das agências de emprego dentro e fora de Washington. "Pessoas de alto nível que estão na indústria querem entrar para o governo federal e ser parte desta administração", disse à CNN Scott Kirk, que dirige a CareerPro Global, uma agência de empregos da Georgia. "Tenho falado com pessoas que estiveram em suas profissões por 10, 20 aos. Então [Obama] definitivamente estimulou alguma coisa."   Em Washington, o recrutador Nels Olson da agência Korn/Ferry International também tem sentido o impacto. "Acredito que esta é uma das transições mais ativas na Presidência moderna", afirmou ele à emissora americana.   Para quem busca um cargo no governo Obama, a má notícia é que há menos de 8 mil cargos indicados pela Presidência para os mais de 300 mil candidatos - e o número continua a crescer. Qualquer interessado tem de passar por testes online de duas fases e as informações ficam em um grande banco de dados.   Até para a equipe de Obama, o processo é uma grande tarefa. "Definitivamente é um desafio", disse Shapiro. "Não acho que nenhuma transição viu algo como essa", completou, segundo a CNN.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack Obamaeleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.