McCain critica Obama por não ter prestado serviço militar

Republicano respondeu às críticas de Obama por não ter apoiado legislação para veteranos de guerra

Reuters

22 de maio de 2008 | 16h43

O virtual candidato republicano à Presidência dos EUA, senador John McCain, criticou o pré-candidato democrata, senador Barack Obama, por ele não ter prestado o serviço militar. Veja também:Assessor de McCain renuncia por não querer atacar ObamaObama elogia Hillary e critica McCain em viagem a Flórida'É cedo para Obama focar ataques a McCain'  Professor da USP analisa primárias democratas  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  McCain, um antigo oficial da Marinha e ex-prisioneiro na Guerra do Vietnã, revidou depois de ter recebido críticas de Obama no Senado por se opor a uma legislação que ampliaria os benefícios aos veteranos das guerras do Iraque e do Afeganistão. "É típico, mas não menos ofensivo, que o senador Obama use o Senado para atacar um oponente em um assunto sobre o qual ele não entende quase nada", disse McCain, que não estava presente na sessão do Senado por estar em campanha na Califórnia. O Senado aprovou facilmente a legislação que a administração Bush e alguns republicanos, incluindo McCain, consideram tão generosa que poderia encorajar pessoas a deixarem o serviço militar para obter as vantagens previstas, como acesso à universidade.  Em seu discurso no Senado, Obama disse que respeita a carreira militar de McCain, mas não entende porque ele se opõe a uma lei que irá ajudar veteranos do Iraque e do Afeganistão a terem acesso pago à educação universitária. McCain, que é o virtual candidato republicano, disse que apreciou a atuação do também ex-veterano do Vietnã, o senador democrata Jim Webb, no desenvolvimento da legislação para a ajudar os veteranos de guerra mas afirmou que apóia uma abordagem diferente da lei.  "Mas não vou aceitar críticas do senador Obama, que não achou que era sua responsabilidade servir o nosso país em um uniforme", disse McCain, referindo-se ao fato de Obama não ter servido o exército. A condição de McCain de herói de guerra que passou cinco anos e meio como prisioneiro no Vietnã é um de seus trunfos nas eleições de novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições nos EUAObamaMcCain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.