McCain deve detalhar propostas em seu discurso na convenção

Candidatura presidencial do republicano deve ser oficializada nesta quinta, último dia do evento em St. Louis

BBC,

04 de setembro de 2008 | 16h40

O candidato republicano John McCain deve explicar "onde, como e por quê" ele quer dirigir os Estados Unidos em discurso na Convenção Nacional Republicana, em St. Paul, nesta quinta-feira, 4, quando aceitará a indicação presidencial do partido e irá oficializar sua candidatura, informa o jornal The New York Times. Seu pronunciamento aparecerá depois do pronunciamento de sua vice candidata, Sarah Palin, que deu um novo clima à reunião dos republicanos após seu discurso muito elogiado.   Veja também: Palin se compara a pitbull e ataca Obama Galeria de fotos da convenção  Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    Na noite de quarta, Sarah atacou o candidato democrata, Barack Obama, dizendo que ele fala de mudança, mas não fez nada substancial. Ela afirmou que Obama parece estar mais interessado em grandes discursos do que em agir pelos americanos.   Em outra tirada contra o rival, Sarah disse: "Este é um homem capaz de fazer um discurso inteiro sobre as guerras que a América está combatendo e nunca usar a palavra 'vitória', exceto quando ele está falando de sua própria campanha."   Segundo o correspondente da BBC em Minnesota, Jonathan Beale, agora McCain tem que tirar o foco de Sarah e atraí-lo para ele. Fechando o evento de quatro dias, o candidato republicano deve reforçar suas políticas e destacar que ele pode agir de modo diferente da administração Bush.   "Ele irá pedir a toda Washington que comece a colocar o país em primeiro lugar, antes de seus próprios interesses", declarou ao New York Times Mark Salter, biógrafo do senador republicano.   "O importante agora é dizer aos americanos por quê eu posso restaurar nossa economia, dando-lhes um sistema de saúde que eles possam pagar, uma educação decente, trazer os empregos de volta e manter nossa nação segura", afirmou McCain à rede americana ABC.   Com a lembrança do discurso de Obama na convenção democrata, na semana passada, ainda fresca, o republicano deve enfrentar comparações inevitáveis. Ele nunca foi considerado um grande orador, disseram alguns de seus assistentes próximos, que revelaram que o objetivo de McCain é um pronunciamento simples.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.