McCain e Hillary lideram pesquisas realizadas em Nova York

Democrata tem 48% dos eleitores e republicano tem 34%; pesquisa antecipa o que pode acontecer na Super terça

Efe,

22 de janeiro de 2008 | 02h22

A senadora democrata Hillary Clinton e o senador John McCain lideram as pesquisas de opinião pública elaborada pela rede de televisão WNBC divulgadas nesta segunda-feira, 21, pelo Estado de Nova York. Veja também: Hillary e Obama voltam a se atacar durante debate Segundo a pesquisa, Hillary, que é senadora por Nova York, terá o apoio de 48% dos eleitores no estado, contra 32% que preferem Barack Obama, seu principal adversário na briga para representar o Partido Democrata nas eleições Presidenciais de novembro. Já o senador pelo Arizona, John McCain, vence Rudy Giuliani, ex-prefeito de Nova York. Segundo a enquete, Giuliani tem o apoio de 23% dos eleitores republicanos em seu estado natal, enquanto McCain recebe o respaldo de 34%. A pesquisa antecipa o que pode acontecer no dia 5 de fevereiro, quando 22 estados americanos, entre eles Nova York, realizam suas primárias, na chamada "Super Terça". Democratas A enquete indica ainda que o terceiro lugar pertence a John Edwards, com 9%, e Dennis Kucinich surge em quarto, com 3%. Segundo a pesquisa, 68% dos eleitores democratas em Nova York já se decidiram por um candidato, e apenas 7% confessam que ainda não sabem em quem votar. Entre os entrevistados, 59% acreditam que a ex-primeira-dama é a melhor opção para derrotar o candidato republicano, enquanto 24% consideram Obama como a única pessoa capaz de vencer as eleições para os democratas. Republicanos O ex-governador de Massachusetts Mitt Romney aparece em terceiro lugar, com 19% dos votos, e o ex-governador de Arkansas Mike Huckabee em quarto, com 15%. Giuliani praticamente desapareceu nos caucus e primárias realizados até agora, o que poderia explicar a diminuição do apoio em seu estado natal, dizem os analistas. Para tentar se manter na disputa republicana, o ex-prefeito de Nova York decidiu adotar a estratégia de se concentrar nos estados que enviam mais delegados às convenções. Por isso, resolveu dedicar grande parte de seus esforços à Flórida, onde no próximo sábado acontecem as primárias de seu partido. Apesar do revés, o ex-prefeito pode conseguir reverter sua posição em Nova York, já que muitos dos eleitores republicanos do estado afirmam que não estão convictos em quem votar nas primárias. Entre os republicanos ouvidos, apenas 41% afirmam que sua decisão é definitiva, e 30% confessam que podem mudar sua opção de voto.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.