McCain pede a jornalistas que deixem sua vice em paz

Campanha diz que destaque para revelações sobre o passado de Palin tenta destruir reputação da governadora

Associated Press e Reuters,

03 de setembro de 2008 | 13h45

Os estrategistas da campanha eleitoral do candidato republicano John McCain apresentaram nesta quarta-feira, 3, uma mensagem que tem como alvo os veículos de comunicação e a campanha de seu rival democrata: "Deixem Sarah Palin em paz". O pedido vem à tona no dia em que Sarah Palin discursará perante os delegados do Partido Republicano reunidos em Minnesota para confirmar a candidatura de McCain à Presidência dos Estados Unidos.   Veja também: Blogs do Alasca criticam vice de McCain  Vice coloca em dúvida a seleção de McCain Galeria de fotos da convenção  Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    Segundo os republicanos, a mídia e a campanha de Barack Obama são as fontes de "um escândalo fabricado" para destruir a reputação da companheira de chapa de McCain. "Nada disso faz sentido e deve terminar", disse Steve Schmidt, estrategista eleitoral de McCain. Sarah Palin, a antes pouco conhecida governadora do Alasca, dominou a convenção republicana sem ter feito nenhuma aparição pública por conta das suspeitas e contradições que estão se avolumando e têm ofuscado a mensagem da convenção do partido.   Desde que McCain transformou a quase desconhecida Palin em sua companheira de chapa, a governadora do Alasca viu-se tragada por uma tempestade de notícias envolvendo a gravidez de sua filha adolescente solteira, uma investigação sobre a participação dela na demissão de uma autoridade do Alasca e dúvidas sobre seu passado no mundo da política.   O fato de Palin, 44, ser contrária ao aborto e favorável às armas deixou empolgados os conservadores e ativistas do partido, mas o discurso dela, na quarta-feira, será sua primeira chance de contar diretamente aos americanos sua história de vida e suas idéias. O pronunciamento ocorre apenas cinco dias depois de McCain, em um comício realizado em Ohio, ter chocado o mundo da política dos EUA ao anunciar a governadora de primeiro mandato como sua parceira de chapa.   "Os republicanos de Ohio tiveram uma primeira impressão dela na sexta-feira, quando McCain a apresentou", disse Fergus Cullen, presidente do Partido Republicano em New Hampshire. "Agora o resto do país pode ter uma primeira impressão dela."   Palin, a primeira republicana a disputar a vaga de vice-presidente do país, afastou-se dos holofotes nos últimos dois dias, período durante o qual surgiram revelações a respeito de sua família e de sua carreira. A governadora vem se preparando para o pronunciamento junto com Matt Scully, que escreveu o discurso dela em Ohio. "Nós vamos passar por cima deles, esmagá-los - nós gostamos quando as pessoas nos subestimam", afirmou um membro do comitê de campanha de McCain a respeito do pronunciamento dela.   O discurso de Palin, no qual aceitará a nomeação, pode dar à opinião pública uma chance de avaliar sua familiaridade com questões de política interna e internacional. A candidata a vice talvez fale ainda sobre a gravidez de sua filha de 17 anos e sobre a investigação a respeito de ter cometido abuso de poder quando demitiu o comissário de segurança pública do Alasca.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUAJohn McCain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.