McCain recusa apoio de pastor após declarações sobre judeus

Caso foi comparado ao de Barack Obama, que no mês passado cortou relações com um pastor democrata

Reuters,

22 de maio de 2008 | 17h52

Candidato presidencial republicano John McCain rejeitou a aprovação de um pastor do Texas nesta quinta-feira, 22, após ter descoberto que o homem havia feito comentários depreciativos sobre os judeus.   Veja também: McCain critica Obama por não ter prestado serviço militar Assessor de McCain renuncia por não querer atacar Obama Obama elogia Hillary e critica McCain em viagem a Flórida 'É cedo para Obama focar ataques a McCain'  Professor da USP analisa primárias democratas  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    "Obviamente, eu acho estas e outras observações profundamente ofensivas e indefensáveis, e eu as repudio", disse McCain sobre observações de John Hagee. "Eu não sabia sobre elas antes da aprovação do reverendo Hagee, e sinto que devo rejeitar o seu aval também."   A rejeição ao aval de pregador por McCain criou comparações a polêmica em torno do pastor da corrida da Frente Democrática de Barack Obama. Obama cortou os laços com o reverendo Jeremias Wright no mês passado, depois que o pastor fez uma série de declarações sobre questões raciais.

Tudo o que sabemos sobre:
John McCainBarack Obamapastor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.