McCain vence na Flórida e se fortalece na disputa republicana

Resultado, que dá 57 delegados na convenção nacional, fortalece a campanha do senador para a Superterça

Associated Press e New York Times, Agências internacionais

30 de janeiro de 2008 | 00h33

O senador pelo estado do Arizona John McCain solidificou sua posição como principal concorrente à indicação republicana à Presidência dos Estados Unidos ao vencer a prévia da Flórida nesta terça-feira, 29, numa disputa acirrada com o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney.   Veja também: Hillary vence primária democrata na Flórida Giuliani atrai mais imprensa do que eleitores Giuliani pode deixar disputa Cobertura completa das eleições nos EUA Especial eleições americanas   Com 99% das urnas apuradas, McCain tinha 36% dos votos, enquanto Romney aparecia com 31%. O resultado, que dá a McCain 57 delegados na convenção nacional do Partido Republicano, fortalece a campanha do senador para a Superterça, no próximo dia 5, quando 21 estados realizarão suas prévias. Ele agora lidera com larga margem a corrida pela indicação do partido.   "Nossa vitória pode não ter sido avassaladora, mas ainda assim ela é doce", disse McCain em discurso a seus correligionários.   Além de ser o Estado a fornecer o maior número de delegados, a Flórida vinha sendo considerada uma disputa chave para McCain, uma vez que é a primeira em que eleitores independentes - que apoiaram o senador nas prévias anteriores - não puderam votar.   Segundo pesquisas de boca-de-urna, o pré-candidato contou principalmente com o apoio de republicanos moderados e liberais para vencer Romney, que ficou com o voto do eleitorado com maior poder aquisitivo e mais conservador.   Giuliani   A briga entre McCain e Romney, que ficou ríspida nos últimos dias, deve se sobrepor ao drama vivido pelo ex-prefeito de Nova York Rudy Giuliani. Ele apostou todas as fichas de sua campanha no estado, praticamente ignorando as prévias anteriores, e chegou a dizer que, se não levasse os delegados da Flórida, abandonaria a disputa.   O "prefeito da América", como ficou conhecido por sua atuação após os atentados de 11 de Setembro, ficou terceiro lugar, com apenas 15% dos votos, seguido de Mike Huckabee, com 13%.   Falando a correligionários após a divulgação dos resultados, Giuliani manteve um largo sorriso no rosto, mesmo com sua candidatura aparentemente próxima do fim.   "Nem sempre você ganha", disse ele, que por várias vezes referiu-se a sua campanha com verbos no passado. "Estou orgulhoso de que tenhamos optado por permanecer positivos e promover uma campanha de idéias em uma era de ataques pessoais."   Democratas   Numa disputa que não deverá ter validade para a indicação do candidato presidencial do Partido Democrata, a pré-candidata Hillary Clinton conseguiu a maioria dos votos na primária da Flórida desta terça-feira. Ela teve mais de 50% dos votos, cerca de 20 pontos percentuais à frente de seu principal rival Barack Obama.   Nenhum dos candidatos democratas fizeram campanha no estado, mas Hillary espera ganhar publicidade com a vitória para a disputa decisiva da Superterça.   Embora Hillary tenha usado seu discurso de vitória para dizer que "os cidadãos da Flórida querem ser ouvidos", a primária democrata no Estado não terá validade para a indicação do candidato do partido. O Partido Democrata da Flórida foi punido pela direção nacional por antecipar sua primária, e não contará com delegados na convenção em que o indicado será oficializado. Ainda assim, Hillary tem a esperança de reverter a decisão, uma vez que o Estado é considerado decisivo nas eleições gerais de novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições nos EUAJohn McCain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.