Michelle Obama reforça valores americanos do marido

No discurso mais esperado da 1ª noite da Convenção, advogada retrata candidato como um americano comum

Agências internacionais,

25 de agosto de 2008 | 23h58

Michelle Obama, mulher do candidato democrata à Casa Branca, reforçou os valores americanos do marido em seu discurso na Convenção Democrata na noite desta segunda-feira, 25. "Estou aqui como uma esposa que ama o marido e acredita que ele será um líder extraordinário", declarou a advogada de Chicago de 44 anos, enquanto os democratas tentam passar a imagem de Barack Obama como um homem comum, que entende os problemas do eleitorado. Seu pronunciamento era o mais aguardado do primeiro dia da convenção da legenda.   Veja também: Ovacionado, Ted Kennedy discursa na Convenção Imagens da Convenção Democrata Obama x McCain Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    Michelle, mulher de Obama, com Sasha e Malia, filhas do candidato democrata. Foto: AP   Ela citou o trabalho duro de seus pais e suas raízes na classe trabalhadora. Referindo-se à época da infância de Obama em que ele passou no Havaí e Indonésia, Michelle afirmou que apesar do candidato democrata ter crescido em uma parte diferente do mundo, o casal teve uma vida similar e adotou as mesmas crenças. "Barack e eu crescemos com muitos valores iguais, como você que trabalha duro para o que quer para sua vida."   A advogada disse que ela e o marido sentem obrigação "de lutar pelo o mundo" e "garantir um futuro melhor para suas filhas e todas as crianças. As duas filhas do casal, Sasha e Malia, subiram ao palco com a mãe após o discurso.   Michelle tentou humanizar o marido e convencer os eleitores mais céticos de que ele não é tão diferente, apesar de seu nome pouco comum e raízes exóticas. "O que me deixou pensando da primeira vez que eu conheci Barack foi que, mesmo com esse nome engraçado e com o fato dele ter crescido no Havai, sua família era muito parecida com a minha. Os avós deles eram da classe trabalhadora como meus pais, e a mãe dele era solteira e lutava para pagar as contas como em nossa família", destacou Michelle.   "Barack e eu construímos nossas vidas guiados por esses valores, e passamos eles para a próxima geração", acrescentou, tentando retratar Obama como um americano como muitos que estavam lá. O candidato democrata, que tenta ser o primeiro negro na Casa Branca, enfrenta várias questões durante a campanha sobre se ele seria um americano "real."   Michelle foi introduzida por seu irmão, Craig Robinson, técnico do time de basquete da Universidade de Oregon. Antes dela subir ao palco, o público assistiu um vídeo que mostrava sua biografia, narrada pela mãe, sobre sua modesta criação no sul de Chicago. Depois do discurso da mulher, Obama apareceu via satélite, de Kansas.   "Essa noite é dedicada à memória de meu pai (que faleceu de esclerose múltipla em 1991) e ao futuro de minhas filhas. Vamos dedicá-la a acabar nosso trabalho, vamos eleger Barack Obama o próximo presidente americano", concluiu, entre fortes aplausos da multidão.  

Tudo o que sabemos sobre:
Barack Obamaeleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.