Milhares de pessoas chegam a Washington para posse de Obama

Espera-se que dois milhões reúnam-se no centro da capital americana para a cerimônia na terça-feira

Efe,

16 de janeiro de 2009 | 19h38

  WASHINGTON - A capital americana já começou a receber centenas de milhares de pessoas para a posse de Barack Obama como primeiro presidente negro dos Estados Unidos, o que faz com que vários ambulantes aproveitem a ocasião para vender mais produtos. As autoridades calculam que, na terça-feira, cerca de dois milhões de pessoas se reunirão no centro da capital americana, um recorde de público em uma posse presidencial. E toda esta multidão precisa se hospedar, em função da forte onda de frio que castiga Washington, com uma temperatura que chegou nesta sexta-feira, 16, a 12 graus abaixo de zero e que deve continuar na próxima semana.   Veja também:Veja o programa da posse de Barack Obama   No entanto, todos os hotéis da capital estão lotados há semanas, o que fez com que alguns moradores tenham decidido alugar quartos, sofás, camas, e às vezes até mesmo um pedaço de chão em suas casas. Por US$ 200 a noite, é possível alugar dois sofás "muito cômodos", e em uma área nobre da cidade, apesar de distante dos eventos da posse.   Uma casa inteira de três dormitórios na região do Capitólio custa cerca de US$ 4 mil pelos quatro dias de festejos da posse, segundo um anúncio do site "Craigslist.com". Outra casa de três dormitórios, mas distante do local da cerimônia, é oferecida por US$ 8 mil por quatro dias, e o anúncio ainda diz que está "em oferta."   Se alguém alugar esta casa, tem de ficar advertido de que a única maneira de chegar às comemorações será pelo transporte público, ou caminhando cerca de oito quilômetros. Como parte do maior dispositivo de segurança desdobrado em Washington, entre a segunda e a terça-feira o acesso à cidade através das pontes no rio Potomac ficará interrompido.   Também não será permitida a passagem de qualquer veículo em uma área de 5,6 quilômetros quadrados em pleno centro de Washington. As autoridades locais advertiram que o trânsito pode ser nos próximos dias motivo para "grandes pesadelos". Segundo o vereador do condado de Montgomery Michael Knapp, "onde houver uma mínima possibilidade de engarrafamento, haverá."   Criatividade   Isso também estimulou a criatividade dos americanos para se garantir em Washington para a cerimônia. Alguns já garantiram o aluguel de "segways", veículos parecidos com uma patinete a motor e que estão autorizados a atravessar as pontes. Outros se preparam para longos trajetos em bicicletas e até mesmo de patins.   Há também os que estavam dispostos a atravessar o rio com caiaques, mas a Guarda Costeira americana afirmou que isso será impossível. "O trânsito por todo o rio estará interrompido. Não será permitido nenhum tráfego fluvial", declarou o porta-voz da Guarda Costeira, Jason McDaniel, que lembrou que haverá 40 lanchas patrulhando o Potomac.   Segundo as autoridades, o dispositivo de segurança, coordenado pelo Serviço Secreto dos EUA, contará com mais de 40 mil agentes e funcionários de quase 100 entidades federais e locais. A Inteligência informou que não há sinais de atentados, mas a presença de diversas personalidades e o fato de se tratar da posse do primeiro presidente negro representam em si razões para o aumento da segurança.   As celebrações começarão no sábado, com a viagem de trem de Obama entre a Filadélfia e Washington. No domingo, o presidente eleito participará de uma cerimônia de boas-vindas que terminará com um show no Monumento a Lincoln.   São esperadas 500 mil pessoas na apresentação, que terá a participação de nomes de peso como Bruce Springsteen, Bono Vox e Beyoncé. Após um dia dedicado ao voluntariado na segunda-feira, as celebrações vão terminar na terça-feira com a posse de Obama.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.