Não vote porque 'ela é fofa', diz Michelle Obama

Democratas tentam minimizar impulso que Sarah Palin trouxe à candidatura do republicano John McCain

Associated Press,

19 de setembro de 2008 | 16h42

Michelle Obama pediu para os eleitores americanos decidirem seu voto não porque "eu gosto daquele homem" ou "porque ela é fofa". Ela poderia estar falando sobre a candidata republicana à vice-presidência? "Estou falando sobre mim", afirmou, com um sorriso. Entretanto, a mulher do candidato democrata à Casa Branca não está nas eleições. Palin, sim.   Veja também:  Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    Michelle participa de um esforço concentrado envolvendo seu marido, seu vice candidato, o senador Joe Biden, e a senadora Hillary Clinton para minimizar o fôlego que Palin trouxe à candidatura do republicano John McCain, que atraiu parte do eleitorado feminino. Ex-rival de Obama nas primárias, Hillary tem trabalhado duro para transferir o voto das milhões de mulheres que apoiavam sua nomeação para o candidato democrata.   A mulher do democrata disse para uma audiência de 600 pessoas que Obama é o único candidato capaz de combater a crise econômica dos EUA, melhorar o sistema de saúde, a educação e outros temas ligados à mulher. "As pessoas não devem tomar sua decisão baseadas em 'eu gosto daquele homem' ou 'ela é fofa'", disse.   A declaração rendeu muitos aplausos. No discurso, no entanto, ela não falou diretamente sobre Palin. Já seus apoiadores exclamavam "Palin não" antes do evento começar. No começo da semana, Michelle enviou um comunicado a seus eleitores dizendo que "as mulheres podem decidir essa eleição" e na quinta disse que "elas farão a diferença."   "Nós precisamos de vocês", declarou a mulher de Obama para mulheres que assistam a um pronunciamento em Charlotte. "Nossas famílias precisam de vocês, assim como nosso país", continuou.   Várias pesquisas indicam que Sarah Palin, governadora do Alasca, ajudou McCain a acirrar a disputa eleitoral americana. No geral, Obama lidera na preferência das mulheres por 49% contra 44%, mas McCain vence entre as mulheres brancas por 53% contra 40%, informa uma sondagem recente da Associated Press-GfK.   Os republicanos tentam incitar a divisão do eleitorado feminino desde que o senador democrata descreveu as políticas de McCain como as de um "porco de batom", dias depois de Palin fazer uma piada sobre batom na Convenção Nacional Republicana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.