Obama chama valor de resgate aos mercados de 'assombroso'

Bush enviou ao Congresso projeto de US$ 700 bi para conter crise; para democrata, valor 'é sério demais'

Reuters,

21 de setembro de 2008 | 18h30

O candidato do Partido Democrata à Casa Branca, Barack Obama, chamou de "assombroso" os US$ 700 bilhões planejados para resgatar o mercado financeiro, após a crise da semana passada. Ele disse que um acordo final tem de proteger os contribuintes e prever nova regulamentação para o setor.  Veja também:Obama x McCainEntenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA  Num comício em Charlotte, na Carolina do Norte, Obama culpou as políticas econômicas republicanas pelas crise em Wall Street. "Estamos vendo agora os resultados desastrosos dessa filosofia", afirmou o democrata a cerca de 20 mil pessoas. "E o senador (John) McCain (candidato republicano à Casa Branca), que admitiu há pouco tempo não saber tanto de economia quanto deveria, quer continuar pelo mesmo caminho."  A negociações sobre o resgate de inéditos US$ 700 bilhões começaram neste domingo entre o Congresso e o governo do presidente George W. Bush. O Tesouro compraria das instituições financeiras dívidas que elas não esperam mais receber, relacionadas a empréstimos para a compra de imóveis, para, assim, tentar domar as turbulências financeiras.  "O governo Bush ofereceu até agora somente uma idéia com um preço assombroso, não um plano. Mesmo que o Tesouro recupere parte do investimento, 700 bilhões de dólares é sério demais", afirmou Obama. "E para ter o apoio do povo, temos que estar assegurados que esse acordo vai trazer transparência e reformas", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.