Obama cogita ex-líder militar para vice, diz senador

Chapa com ex-militar poderia diminuir as críticas de que o democrata não tem experiência em política externa

Agência Estado e Associated Press,

10 de junho de 2008 | 17h52

O candidato democrata à Casa Branca Barack Obama está considerando alguns ex-líderes militares como possíveis candidatos a vice-presidente na sua chapa, de acordo com um senador que encontrou-se com a equipe de Obama que ajuda na escolha do vice.   Veja também: Obama apresenta política econômica e ataca McCain Possíveis vice-candidatos para Obama Obama x McCain  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    O senador democrata pela Dakota do Norte, Kent Conrad, disse à agência Associated Press que a equipe lhe pediu sugestões sobre três tipos de possíveis aspirantes a vice-presidente - ex-líderes militares, políticos importantes que atualmente não exerçam cargos e políticos que estão em atividade.   Conrad não informou quais nomes estão sob cogitação e a campanha de Obama tem guardado o processo em sigilo. "Nós discutimos vários nomes," disse Conrad, incluídos "alguns que não estão sendo cogitados, mas eu acho que seriam muito bem recebidos pelo povo americano, incluídos ex-líderes militares."   Um vice na chapa que seja ex-militar poderia abrandar as críticas de que Obama não tem experiência em política externa, porque trabalhou apenas três anos no Senado. Isso também faria um contraponto ao passado de militar do candidato republicano John McCain, herói da Guerra do Vietnã.   A equipe que ajuda Obama a escolher o vice é formada por três pessoas: a filha do assassinado presidente John F. Kennedy, Caroline Kennedy; o ex-vice-procurador geral Eric Holder; e Jim Johnson, o ex-executivo-chefe da Fannie Mae, uma agência semi governamental de crédito imobiliário.   Conrad encontrou-se nesta terça com Holder e Johnson. "Eu percebi que eles ainda estão montando a lista e ao mesmo tempo avaliando as possibilidades," disse Conrad. "Ficou claro que eles ainda não chegaram a uma conclusão, nem mesmo a tentativas de conclusões," afirmou.   Alguns ex-líderes militares já se envolveram na campanha presidencial de 2008. Alguns dos mais importantes conselheiros de Obama são o general aposentado Tony McPeak, que foi chefe de Estado-maior da Força Aérea Americana durante a Operação Tempestade no Deserto, deflagrada em janeiro de 1991 por Bush pai para expulsar os iraquianos do Kuwait; o também general de reserva Scott Gration, que participou de várias missões de combate e trabalha com Obama em questões militares; e Richard Danzig, secretário da Marinha durante o governo Bill Clinton (1993-2001).   A emissora de televisão NBC News informou nesta terça que um dos ex-líderes militares cogitados é o general aposentado James Jones, que foi comandante aliado supremo da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Tudo o que sabemos sobre:
Barack Obamaeleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.