Obama critica construção de assentamento na Cisjordânia

Democrata afirma em entrevista que expansão significa violação de espírito de negociações de paz

Agência Estado e Associated Press,

25 de julho de 2008 | 11h35

O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, criticou a construção de assentamentos judaicos por parte do governo de Israel no território palestino da Cisjordânia. Em entrevista concedida ao jornal Jerusalém Post publicada nesta sexta-feira, 25, Obama é citado dizendo que "uma construção agressiva de assentamentos significa no mínimo a violação do espírito, se não das normas" de acordos anteriores.   Veja também: Obama reafirma que Jerusalém será a capital de Israel Obama x McCain  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    Obama diz ao jornal que, se Israel quer continuar capturando territórios na Cisjordânia por questões de segurança, deveria primeiro "levar em consideração se a criação dessa zona-tampão compensa o antagonismo" dos palestinos. Para conseguir a paz, prossegue ele, "é preciso que se ceda alguma coisa" nos dois lados.   Os palestinos denunciam que a construção de assentamentos judaicos mina as chances de paz. Na quinta-feira, uma comissão de planejamento israelense aprovou a construção de um novo assentamento judaico no Vale do Rio Jordão, atraindo críticas vindas do exterior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.