Obama derrota Hillary no Maine e pode consolidar liderança

Após cinco vitórias em prévias no final de semana, senador pode aproveitar chance e definir disputa no partido

Agências internacionais,

11 de fevereiro de 2008 | 08h06

O senador Barack Obama derrotou Hillary Clinton pela quinta vez consecutiva no final de semana no caucus do Estado de Maine, onde a ex-primeira-dama figurava como favorita, depois das vitórias na Louisiana, Nebraska, Washington e no território das Ilhas Virgens. Os resultados colocam o pré-candidato em situação confortável para o calendário de prévias e indicam o surgimento de uma chance para o fim do impasse na corrida presidencial democrata.   Próximo de indicação, McCain pensa no vice Hillary troca comando de campanha Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA     Obama soma agora 1143 delegados contra os 1138 alcançados por Hillary, segundo projeções do site Real Clear Politics. Na noite de domingo, o senador exaltou suas recentes vitórias, afirmando que tinha "vencido na costa do Atlântico, no costa do Golfo (do México), e ganhamos na costa do Pacífico".   Depois do Maine, a próxima disputa democrata acontece nesta terça-feira, quando os candidatos disputam os delegados dos Estados de Virgínia, Maryland e do Distrito de Columbia, onde fica a capital dos Estados Unidos, Washington.   Muitos analistas apontam para a possibilidade de Hillary ficar um mês sem comemorar nenhuma vitória - a situação piorou mais com a derrota no Maine, onde o eleitorado formado por mulheres e pessoas acima dos 60 anos dava o favoritismo a ela. Até as primárias de Ohio, Texas, Rhode Island e Vermont, no dia 4 de março, Hillary deve testemunhar mais vitórias do rival. E, se Obama realmente vencer, ele pode tirar a vantagem que senadora tem em Ohio, Texas e Pensilvânia.   Segundo o jornal The New York Times, a campanha de Hillary considerava provável a vitória em Maine, e a derrota ressaltou as dificuldades em "uma série de primárias que necessitavam de uma alta capacidade de organização de base, em que a campanha de Obama se destacou".   Depois da derrota de sábado, Hillary anunciou a primeira baixa importante com a substituição de sua chefe de campanha, Patti Solis Doyle, por Maggie Williams, sua antiga colaboradora na gestão de seu marido, Bill Clinton. Patti anunciou sua saída em comunicado por e-mail, em que afirmava sentir "orgulho" por gerenciar a campanha até o momento e ainda poder chamar Hillary de "sua amiga por mais de 16 anos". Sem declarar a razão da substituição, Hillary disse que Patti "realizou um trabalho extraordinário".   Integrantes da campanha de Hillary confirmaram que ela se encontrou na quinta-feira com o ex-senador John Edwards, pré-candidato que desistiu da disputa antes da Superterça e ainda não apoiou nenhuma candidatura democrata. Porém, Obama também deve encontrá-lo na noite desta segunda-feira, segundo apoiadores do senador de Illinois. O anúncio do encontro dos rivais com Edwards mostra que a disputa pelo apoio será incluído na atual batalha Estado-a-Estado por delegados.   Texto atualizado às 21h09

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.