Obama deve chamar Dennis Blair para chefe da Inteligência

Ele também escolheu Hilda Solís para a secretaria de Trabalho e Dallas Ron Kirk como Representante Comercial

Agências Internacionais

18 de dezembro de 2008 | 20h34

O presidente eleito Barack Obama deve chamar o almirante reformado Dennis Blair para ser o chefe da Inteligência e poderá fazer o anúncio no início da sexta-feira, 19, segundo fonte próxima ao presidente. "Esperamos anunciar amanhã", disse a fonte, que falou em condição de anonimato.   Veja também: Mary Schapiro deve ser indicada para comissão de valores mobiliários Obama nomeia secretários da Agricultura e do Interior Obama escolhe republicano para Transportes, diz jornal Obama indica diretor de Chicago para a pasta da Educação Obama anuncia equipe de Energia e Meio Ambiente O gabinete do presidente eleito   Ele também escolheu a congressista hispânica Hilda Solís para ser sua secretária de Trabalho, informou uma fonte do meio sindical nesta quinta-feira, 18. Seu anúncio também está previsto para sexta-feira, 19.   Congressista pela Califórnia, filha de imigrantes mexicanos e nicaragüenses, Hilda Solis foi eleita pela quinta vez representante da Califórnia nas eleições americanas de novembro. Ela representa o condado de East Los Angeles, uma zona com grande população hispânica.   A fonte falou sob anonimato, à espera do anúncio oficial. O escritório de Solis, procurado pela Associated Press, não respondeu aos pedidos de entrevista.   Mais cedo, foi informado que Obama planeja nomear o ex-prefeito de Dallas Ron Kirk como o próximo Representante Comercial do país, segundo uma fonte.   Kirk, que foi o primeiro prefeito afro-americano de Dallas, de 1995 a 2001, é atualmente sócio da firma de advocacia Vinson & Elkins LLP, especializado em finanças e políticas públicas.   Kirk, que também foi considerado um forte candidato para secretário de Transporte, vai assumir um duro trabalho na condução da política comercial dos EUA.   Três acordos de livre comércio - com a Colômbia, Coréia do Sul e Panamá - permanecem no limbo em meio a uma longa batalha sobre a política comercial entre o Congresso controlado pelos democratas e a administração republicana do presidente George W. Bush.   Obama tem se colocado ao lado do seu partido em argumentar que o governo colombiano precisa fazer mais para proteger os sindicatos de trabalhadores da violência, assim como ajudar os trabalhadores deslocados de seus empregos por causa do comércio.   Como candidato, Obama prometeu trazer o Canadá e o México para a mesa para reforçar os padrões trabalhistas e ambientais no Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês). As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.