Obama discute tráfico e imigração com o presidente mexicano

Acordo de livre-comércio e manutenção de ajuda financeira de Bush também estão na pauta do encontro

Reuters e Associated Press,

12 de janeiro de 2009 | 09h06

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, discutirá a guerra contra o tráfico de drogas e temas de comércio com o presidente mexicano, Felipe Calderon, nesta segunda-feira, 12, em seu primeiro encontro com um líder estrangeiro desde a eleição de novembro. Obama prometeu reforçar os laços com o México e a América Latina, região negligenciada pela política externa adotada pelo presidente George W. Bush, focado em sua guerra contra o terrorismo no Iraque e no Afeganistão. Com a violência por conta das drogas explodindo no país e os temores de que Obama poderia buscar mudanças no acordo de livre-comércio com o México, Calderon está ansioso com o futuro presidente americano. Assessores de Obama disseram que o encontro é parte de uma tradição de encontros de presidentes dos dois países antes da posse. Eles devem almoçar juntos por volta das 15 horas (horário de Brasília) e então conversar. Calderon ainda deve se reunir com Bush na terça-feira. Uma das prioridades de Calderon é pressionar Obama a continuar com o programa americano de combate às drogas iniciado por Bush em 2007 para ajudar no combate ao tráfico. Pelo menos 5.650 pessoas foram mortas na onda de violência no último ano. Entre outras questões, o gabinete de Calderon afirmou em nota que ele ainda deve pedir por "melhores condições para os mexicanos nos EUA, baseado no respeito de seus direitos" e pela expansão de programas para trabalhadores convidados. Calderon espera uma recepção amigável de Obama, que no último ano apoiou uma reforma imigratória sem sucesso e que previa a cidadania para milhões de imigrantes. A proposta foi derrubada no Congresso.

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoEUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.