Obama diz que apóia a união civil entre parceiros homossexuais

Candidato democrata à Presidência dos EUA afirma que gays devem ter direitos, como visitar-se em hospitais

Associated Press,

16 de agosto de 2008 | 22h28

O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, reafirmou neste sábado, 16, sua posição de que o casamento é "a união entre um homem e uma mulher", apesar de ele apoiar a união civil entre parceiros homossexuais.  Obama disse que não apoiaria uma emenda constitucional banindo o casamento gay porque são os governos estaduais que devem lidar com a questão. Ele afirmou que os parceiros homossexuais deveriam ter direitos, como visitar uns aos outros em hospitais.  Ele afirmou ainda que, em geral, apóia os direitos ao aborto, mas limitaria o procedimento nos últimos estágios da gravidez em casos em que há risco para a vida da mãe. Ele disse que sabe que há pessoas que se consideram a favor da vida considerariam sua posição "inadequada".  Além disso, Obama afirmou que o governo deveria fazer mais para prevenir a gravidez indesejada e ajudar mulheres a darem à luz, com ações como fornecer os recursos necessários para os pobres, assim como melhorar os serviços de adoção. Os comentários foram feitos durante um fórum religioso realizado pelo ministro Rick Warren em sua megaigreja localizada em Orange County, na Califórnia. O republicano John McCain também deve falar neste sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaUnião entre Homossexuais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.