Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Obama diz que deixaria igreja se pastor não fosse afastado

Após pré-candidato democrata condenar seus sermões inflamados, reverendo Jeremiah Wright deixou campanha

28 de março de 2008 | 16h55

O pré-candidato democrata à Presidência americana, Barack Obama, disse nesta sexta-feira, 28, que se o reverendo Jeremiah Wright não tivesse se afastado da campanha, ele deixaria sua igreja por causa de seus "fortes comentários que ofenderam as pessoas", informou a rede CNN.  Veja também:Líder do Partido Democrata pede definição até 1 de julhoObama conquista o endosso do senador da PensilvâniaConfira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  "Eu acho que ele está triste pelo o que aconteceu, e eu disse a ele que me sinto mal por isso. As pessoas estão vendo apenas um lado do reverendo, não seus outros aspectos positivos", disse, em entrevista a emissora ABC.  Entre os sermões e discursos inflamados de Wright, ficou famoso um pronunciado na Universidade Howard em 2006, em Washington, no qual se referiu ao racismo nos Estados Unidos. "Este país foi fundado e é dirigido segundo um princípio racista", disse, segundo um trecho divulgado pela imprensa americana. Após o senador por Illinois condenar os sermões, Wright deixou sua campanha, no dia 15. A ligação entre o pré-candidato e o polêmico pastor, porém, não afetou a sua candidatura, segundo pesquisa divulgada na quinta-feira, 27, pelo Centro de Pesquisas Pew. Obama mantém vantagem sobre Hillary Clinton na disputa interna do Partido Democrata, por 49% contra 39%.  Ainda nesta sexta-feira, 28, O senador americano Bob Casey manifestou apoio à campanha de Barack Obama à presidência, e deve aparecer ao seu lado em um evento em seu Estado, Pensilvânia, que realiza eleições primárias em 22 de abril. Na contagem nacional de delegados para a Convenção de agosto, o senador está à frente de Hillary, com uma vantagem de mais de 100 delegados conquistados em primárias e 'caucuses' desde janeiro. Nenhum dos dois, no entanto, está perto dos 2.024 delegados necessários para conseguir a indicação Democrata. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.